Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Mais de 4 mil recebem o BPC em Jundiaí

ANGELO AUGUSTO | 12/06/2019 | 05:01

Em Jundiaí, mais de 4 mil jundiaienses recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago a idosos e pessoas com deficiência, sendo 2.247 pessoas com algum tipo de deficiência e 2.185 idosos, de acordo com a última atualização do Ministério da Cidadania. Pegos de surpresa pelo possível corte do benefício, anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro, aguardam decisão do governo.

O presidente informou no último dia 8, em sua conta do Twitter, que o pagamento do BPC poderia ser suspenso a partir do dia 25 de junho caso o Congresso não aprovasse esse crédito suplementar.

Em votação realizada ontem (11), a Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional aprovou o crédito extra de R$ 248,9 bilhões ao Executivo, solicitado pelo presidente Jair Bolsonaro. Em relação ao benefício, ainda não foi divulgado se haverá o corte ou não.

Gabrielle Scarpin Alves é uma das beneficiárias do BPC na cidade. Ela possui um atraso mental moderado e sofre de escoliose. Sua mãe, Simone Scarpin, conta que o benefício é de grande importância para a família, pois ela deixou de trabalhar para cuidar da filha, além de usar o dinheiro recebido para pagar seu plano de saúde e as sessões realizadas no CCO (Centro de Convivência Ocupacional). “Pra ela, o CCO é muito importante, pois ela socializa com muito mais facilidade quando está lá, com outras pessoas que também são especiais. A socialização no dia a dia com pessoas que não possuem nenhuma deficiência é muito mais difícil” conta.

Os mais de 4 mil benefícios em Jundiaí custaram para os cofres públicos R$4,4 milhões somente no mês de maio deste ano. Em 2018, foram registrados em pagamentos do Benefício de Prestação Continuada R$49.963.383,74 para o município de Jundiaí e R$8.453.160.507,14 para todo o estado de São Paulo.

O BPC é um benefício que assegura renda no valor de um salário mínimo para pessoas com deficiência de qualquer idade ou para idosos que tenham renda familiar menor que um quarto do salário mínimo, e que apresentam impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, dificultando a vida em sociedade.

Para viabilizar o projeto de crédito suplementar aprovado ontem, o governo se comprometeu a destinar R$ 1 bilhão dos recursos que hoje estão contingenciados para a educação, R$ 1 bilhão para o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, R$ 550 milhões para as obras de transposição do Rio São Francisco e 330 milhões para bolsas de estudo do CNPQ.


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/mais-de-4-mil-recebem-o-bpc-em-jundiai/
Desenvolvido por CIJUN