Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Médico do HU alerta sobre diferenças entre dengue, chikungunya e zika

DA REDAÇÃO | 07/11/2018 | 06:02

Nesta época do ano o clima predominante é quente e úmido. Ambiente propício para o desenvolvimento do mosquito Aedes aegypti, vetor de doenças como dengue, chikungunya e zika. Além dessas doenças serem transmitidas pelo mesmo inseto, elas têm em comum alguns sintomas, o que dificulta o diagnóstico.

De acordo com o médico infectologista do Hospital Universitário de Jundiaí (HU), Saulo Duarte Passos, pequenas diferenças podem ser usadas como critério para a diferenciação. Segundo ele, a dengue é a doença mais grave se comparada com a chikungunya e a zika. Seus sintomas são febre, dores no corpo (musculares), dores de cabeça e nos olhos, falta de ar, manchas na pele e indisposição. Em casos mais graves, a dengue pode levar ao óbito, em decorrência de hemorragias.

Já a chikungunya também causa febre e dores no corpo, porém as dores concentram-se especialmente nas articulações. Em geral os sintomas persistem por duas semanas, porém as dores podem permanecer por meses. “A chikungunya afeta bastante a qualidade de vida dos pacientes por causa da persistência da dor. Casos de morte são raros”, diz o médico.

A zika não causa sintomas na maioria das vezes e quando ocorre algum sintoma geralmente é febre baixa, olhos avermelhados e coceira característica. “Como os sintomas são mais comuns, muitas vezes a doença é confundida com uma alergia”, explica Dr. Saulo. A zika raramente causa morte e seus sintomas duram em média sete dias. No entanto, é importante destacar que a febre zika relaciona-se com uma síndrome neurológica que causa paralisia, a Síndrome de Guillain-Barré, e também com casos de microcefalia.

O tratamento para cuidar de pacientes com as três doenças é praticamente o mesmo, pois não existem medicamentos específicos. A recomendação é que estes pacientes mantenham repouso e consumam muito líquido. O médico pode indicar medicamentos para a dor, exceto aqueles que contenham em sua fórmula o ácido acetilsalicílico, que pode desencadear hemorragia.

Prevenção
Para a dengue já existe vacina, mas para a chikungunya e a zika não. O médico explica que a vacina da dengue é indicada inclusive para quem já teve a doença, mas lembra que a mesma só é ofertada na rede privada. Por isso, a melhor forma de prevenir essas doenças é eliminando focos de desenvolvimento do Aedes aegypti, como locais de acúmulo de água parada.

ACAO DA ZOONOSES CONTRA A DENGUE NO BAIRRO JARDIM NOVO HORIZONTE VARJAO TECNICOS DA ZOONOSES ANALISANDO FOCO DA DENGUE


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/medico-do-hu-alerta-sobre-diferencas-entre-dengue-chikungunya-e-zika/
Desenvolvido por CIJUN