Jundiaí

Mercados passam por fiscalização de preços

A quarentena desencadeou um movimento anormal nos supermercados da cidade. O primeiro deles foi o fluxo intenso de compradores preocupados em estocar comida. O outro foi o desabastecimento em alguns estabelecimentos, principalmente de produtos de necessidades básicas e, justamente para evitar o abuso da falta de produtos ou até mesmo o aumento de preços, o Procon Jundiaí deu início a uma fiscalização mais intensa nos supermercados da cidade. De acordo com o chefe do órgão, Adilton Garcia, a primeira fase deste trabalho tem como base a coleta de informações e denúncias. “Até agora realizamos seis visitas a supermercados. Nesta etapa os estabelecimentos possuem 48 horas para entregar as notas fiscais de compra e venda dos três primeiros meses", explica, contando que a atenção principal será dada a produtos básicos como o feijão carioca, leite, alho e ovos. O aposentado Aparecido Ferreira do Santos, de 53 anos, foi ao mercado neste final de semana para reabastecer a geladeira da família e conta que notou a diferença de valores. "O óleo, o tomate e o feijão estão acima do que eu esperava. Vim para comprar o suficiente apenas para a semana, não acho que haja necessidade de estoque nesse momento”, diz. Segundo a Associação Paulista dos Supermercados (Apas), a alta demanda impactou principalmente os produtos de consumo diário do brasileiro. Ao comparar os valores do mês de fevereiro com o mês de março no interior paulista, é possível constatar que a batata apresentou um aumento de 90%; o alho subiu em 45%; o leite longa vida em 54% e o feijão teve 67% de aumento, sendo que estes dois últimos ficaram sem disponibilidade de compra. Segundo a Apas, os supermercados estão tentando negociar custos com seus fornecedores, mantendo a mesma margem de comercialização. O Procon Jundiaí afirma que a fiscalização continuará sendo feita nos demais mercados da cidade e em seguida os dados coletados seguem para o Procon-SP. Denúncias de abusos podem ser feitas pelo e-mail [email protected]  

Notícias relevantes: