Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Mesmo em casa, pacientes seguem com o tratamento

MÁRCIA MAZZEI | 19/06/2020 | 06:03

Em Jundiaí, os 449 casos ativos do novo coronavírus são um indicador importante para saber se a pandemia está ganhando ou perdendo força. No município, dos pacientes infectados, 146 estão em isolamento domiciliar, mas para cada estágio da doença o paciente recebe um atendimento. Os testados positivos e classificados como leves, ou seja, sem a necessidade de uso de leitos hospitalares da rede pública, recebem acompanhamento da equipe de saúde, bem como a verificação da recuperação do usuário.

Segundo dados do Comitê de Enfrentamento de Coronavírus (CEC), a cada 48 horas, equipes das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e da Vigilância Epidemiológica (VE) realizam o monitoramento dos pacientes por contato telefônico. De acordo com o CEC, o encaminhamento para recuperação em isolamento domiciliar é realizado sob decisão médica, levando em conta a análise de cada caso, assim como os critérios definidos via protocolo.

Todos os encaminhados para a recuperação em domicílio são orientados a manter o isolamento social, juntamente com orientações sobre como deve ser o cuidado em Família. Segundo o Ministério da Saúde e Organização Mundial de Saúde, o período de transmissão do coronavírus é indicado em até 14 dias a partir do início dos sintomas.

E quem tem recebido acompanhamento domiciliar é o aposentado Avelino Jardim Souza, de 89 anos. Após cinco dias internado no São Vicente com falta de ar, ele têm visitas frequentes de uma equipe de saúde. “Felizmente meu avô está bem, perto de tudo o que passou e ter a fisioterapeuta por perto nos dá ainda mais tranquilidade quanto a sua recuperação”, conta a neta, Maria Helena Jardim.

O casal Roberto Ferreira, de 47 anos, e Fabiane Zonaro Costa, de 45 anos, está entre os casos ativos do novo coronavírus em Jundiaí. Apesar da alta médica, ela está em casa sob cuidados por mais 14 dias.

Uma vez por semana Fabiane recebe uma equipe multidisciplinar com médico, enfermeiro e fisioterapeuta que se revezam. “Em casa são mantidos dois cilindros de oxigênio porque minha saturação pulmonar ainda não atingiu os 90% considerados ideais. A medicação também é controlada pela equipe de saúde da Prefeitura de Jundiaí”, diz.

O marido, após testar positivo para a covid-19, permaneceu internado de 2 a 13 de junho mas, ao contrário de Fabiane, deve se manter apenas em isolamento por mais 7 dias, antes do obter a alta definitiva.

Caso haja agravamento do quadro de saúde, o paciente deve buscar por atendimento. A indicação se dá pelo acompanhamento feito pelas equipes da Vigilância Epidemiológica, que ligam para cada caso, após o término deste período de 14 dias de possível transmissão do vírus e não apresentação de sintomas.

DEPOIS DA ALTA
O atendimento aos casos do novo coronavírus são oferecidas Unidades Sentinelas para os casos leves e nos pronto atendimentos quando se tratar de pacientes com falta de ar. Em ambos os casos é oferecida uma prescrição da medicação necessária e, dependendo do quadro clínico, encaminhado ao isolamento domiciliar.

Já se o caso for identificado como grave, o atendimento é hospitalar. Para estas ocorrências, Jundiaí dispõe de leitos de enfermaria e Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos, total de 85, no Hospital São Vicente de Paulo (HSV) e 25 no Hospital de Campanha do 12º Grupamento de Artilharia de Campanha (12º GAC) Barão de Jundiahy.

Para evitar deslocamentos desnecessários, o município disponibiliza o Disque 156 Coronavírus, para tirar dúvidas sobre sintomas, quais serviços procurar e também para o apoio psicológico necessário.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) é destinado ao atendimento de casos de urgência e emergência e de risco à vida. Todas as ligações são atendidas e avaliadas por médico regulador que, identificando a necessidade do serviço, terá o atendimento realizado, seja por caso de covid-19, acidente de trânsito, infarto e até quedas.

Roberto e Fabiane Zonaro se recuperam da covid-19 e recebem atendimento em casa da equipe de saúde de Jundiaí

 

Com falta de ar, Avelino Jardim Souza, 89 anos, tem visita da fisioterapeuta


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/mesmo-em-casa-pacientes-seguem-com-o-tratamento/
Desenvolvido por CIJUN