Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Metalúrgica demitirá 140 funcionários

COLABORAÇÃO DE FELIPE CARDOSO | 09/04/2019 | 05:04

Um dos maiores fornecedores do mundo em produção de pneus e sistemas de freios para veículos comerciais e passeio, o Grupo Continental anunciou o encerramento das atividades no setor de fundição da unidade de Várzea Paulista.
Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Eliseu Costa, o setor conta com mais de 140 funcionários que foram avisados antecipadamente das futuras demissões. “A situação desses trabalhadores ainda não está definida, pois estamos negociando com a empresa se existem vagas em outros setores ou se haverá algum tipo de benefício para esses funcionários, já que alguns contam com estabilidade de emprego por serem portadores de doença ocupacional ou por serem suplentes da Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes)”, afirma.
Entre os benefícios que ainda estão sendo negociados estão cestas básicas, premiação por tempo de serviços prestados à empresa e convênio médico. “A negociação ainda está em andamento e devemos ter uma conclusão deste assunto na semana que vem. Como a própria empresa nos informou, existe a possibilidade de contratações para outros setores nos próximos 60 dias, então sugerimos que priorizem estes funcionários que foram prejudicados e demitidos devido ao encerramento da parte de linha de produção da fundição”, diz o presidente.
O encerramento das atividades deve acontecer antes do mês de junho. “A empresa nos comunicou que o local está muito antigo e que não possuem recursos para investimentos em inovações para seguirem atuando em Várzea Paulista. A intenção é que o processo de encerramento das atividades do setor de fundição ocorra até o final do próximo mês de maio”, explica Elizeu.
Esta não é a única empresa do setor a fechar as portas em 2019. Em fevereiro, a montadora americana Ford anunciou que durante este ano encerrará as atividades no mercado de caminhões na América do Sul e irá fechar a unidade localizada em São Bernardo do Campo, o que mostra a crise que vive a indústria automolibística.
De acordo com presidente Eliseu Costa, o encerramento do setor de fundição da Continental é o primeiro indício da crise na região de Jundiaí. “Por enquanto fomos comunicados apenas pela Continental. Ainda não é possível saber as consequências que essa crise pode causar na nossa região, mas já podemos ver que ela existe e devemos nos preparar para caso a situação se agrave”, ressalta.
A unidade de Várzea Paulista é localizada na avenida Duque de Caxias, bairro Jardim Promeca e de acordo com o site Automotive Business, existe desde 1968, quando foi criada a Alfred Teves, a primeira fábrica do grupo meteorológico em um país fora da Europa.

T_Continental-Teves_03


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/metalurgica-demitira-140-funcionarios/
Desenvolvido por CIJUN