Jundiaí

Motoristas focam na prevenção


A pandemia por conta do novo coronavírus está mudando o hábito das pessoas de forma diária. Não poderia ser diferente com quem trabalha como motorista nas vias da cidade. Hábitos de higiene e segurança própria e para os passageiros agora fazem parte da rotina de quem é profissional deste ramo. Há dois anos como motorista de aplicativo, Márcio Ariovaldo Picão, de 42 anos, precisa estar às ruas todos os dias para garantir sua renda, mas para continuar o trabalho colocou uma proteção, que lembra um vidro, entre os bancos da frente e de trás. “Tive essa ideia para proteger a todos que estão no carro. Um dia peguei uma vara de pescar e passei uma fita crepe com filme de plástico e introduzi no carro. Inicialmente era uma camada, mas agora são duas para sempre realizar a limpeza e não rasgar”, descreve, ao lembrar que toda semana faz a troca do plástico. Para ele a recepção dos passageiros está sendo bastante positiva. “Nos últimos dias peguei passageiros que estavam espirrando ou tossindo e me senti mais seguro, sem qualquer medo”, conta. Quando ele precisa sair do veículo para abrir o porta-malas, sempre coloca uma máscara para não ter qualquer contato com o passageiro. Quem também se utiliza deste acessório no seu trabalho é Tiago Augusto Bolla, de 37 anos. Motorista há três anos, disponibiliza sempre álcool em gel para os seus clientes. Tiago diz reforçar a limpeza do seu carro neste período. “Sempre fui muito chato quanto a limpeza, independente agora da chegada do vírus. Sempre procurei limpar o meu carro duas e até três vezes durante o dia. Os clientes estão sendo cuidadosos e no máximo estão vindo em duas pessoas para não aglomerar”, completa. Diogo Vieira Saraiva, de 31 anos, trabalha como motorista há um ano e colocou algumas regras para quem deseja pegar corrida com ele. “No máximo recebo dois passageiros por viagem e sempre no banco de trás. Outro hábito que modifiquei é sempre quando recebo o pagamento em dinheiro realizo a higienização das mãos e, todos os dias, faço a limpeza e higienização do carro”, diz. Trabalhando com motorista de aplicativo, Samuel Abreu, de 44 anos, limitou em seu veículo a quantidade de passageiros. “Não carrego mais de duas pessoas. Envio mensagem avisando sobre isso antes e, após cada viagem que realizo, eu paro o carro e passo o álcool em gel na maçaneta e em todas as partes plásticas do veículo”, descreve.

Notícias relevantes: