Jundiaí

Movimento no aeroporto de Jundiaí cai 80%


SIMULACAO DE ACIDENTE AEREO NO AEROPORTO DE JUNDIAI
Crédito: Reprodução/Internet
A rotina nos aeroportos também foi alterada devido ao covid-19. Segundo a Voa-SP, consórcio de administração de aeroportos privados brasileiros, incluindo o Aeroporto Estadual Comandante Rolim Adolfo Amaro, o movimento de pouso e de decolagem em Jundiaí teve uma queda de 80% no município desde o início da quarentena. Segundo explica o presidente da Voa-SP, coronel Marcel Gomes Moure, na primeira semana da operação, o movimento caiu visivelmente, porém dos 21 hangares, apenas três foram fechados. São exatamente aqueles que correspondem ao aeroclube e outros dois em que eram ministradas aulas teóricas de pilotagem", pontua. Os voos executivos tiveram queda de 60%, mas para os comerciais a queda foi ainda maior, causando preocupação em grandes companhias aéreas como Latam, Azul e Gol. "Isso acontece porque o fluxo de passageiros dos voos comerciais é naturalmente maior", explica Moure. O combustível teve uma queda de 50% e de acordo com o coronel, isso se deve ao fato da aviação executiva, de forma geral, continuar operando. Jundiaí tem recebido aeronaves maiores neste período. “Apesar de termos mantido o combustível na faixa de 50% do seu movimento, nós entendemos que essa quarentena terá grandes efeitos colaterais. Acreditamos que o maior problema ao longo dos próximos 30 dias será a inadimplência”, reitera o presidente, valendo-se de todos os outros serviços que estão atrelados à movimentação do setor aéreo. As remessas expressas, por sua vez, não apresentaram grande impacto. "Continuamos recebendo cargas internacionais ao longo da operação. A maioria é de insumos hospitalares, itens indispensáveis durante este momento. Hoje mesmo recebemos duas aeronaves de médio porte transportando máscaras cirúrgicas", diz, RETOMADA A expectativa era de que a partir de hoje (7) a atividade dos aeroportos voltassem ao normal, contudo, diante da demora para o achatamento da curva de contágio, as ações estão sendo repensadas. "No momento continuaremos com os colaboradores da área administrativa e financeira atuando em home office e àqueles que assumem a linha de frente e não podem parar, continuarão recebendo todos os EPI’s e cuidados necessários”, reforça o coronel. [caption id="attachment_87217" align="aligncenter" width="800"] SIMULACAO DE ACIDENTE AEREO NO AEROPORTO DE JUNDIAI[/caption]

Notícias relevantes: