Jundiaí

Mulher que chamou balconista de "gorda inútil" e agrediu cliente será indiciada em Jundiaí

gordona
Crédito: Reprodução/Internet
Uma cliente que ofendeu a balconista de uma farmácia no bairro Eloy Chaves, em Jundiaí, a chamando de "gorda inútil e incompetente", e ainda agrediu uma freguesa do estabelecimento com um forte tapa no rosto e um chute na canela, na noite de terça-feira (11), foi identificada por policiais civis do 5º DP. Ela deve ser indiciada por injúria e lesão corporal dolosa. As ofensas e agressão foram filmadas por outra cliente com um celular e ajudaram nas investigações. A atendente da farmácia, que tem 23 anos, procurou a Polícia no dia seguinte ao das agressões e contou que a acusada havia entrado no estabelecimento querendo trocar um produto comprado em data anterior. Ao ter o atendimento condicionado ao uso de máscara, já que ela estava sem o equipamento de proteção, ela passou a ofender a balconista e a esbravejar dizendo que não colocaria a máscara. Por conta da agressividade no palavreado, a funcionária ameaçou chamar a polícia. Nesse momento a acusada foi até seu carro, colocou a máscara e retornou ao balcão para fazer a troca de seu produto. Por uma questão administrativa o item não pode ser trocado, o que a enfureceu ainda mais e as injúrias continuaram. Uma cliente, que também registrou Boletim de Ocorrência e tem 39 anos, saiu em defesa da funcionária da farmácia, pedindo que a mulher exaltada "baixasse a bola" e parasse de humilhar a atendente. Foi nesse momento que a acusada lhe desferiu um tapa no rosto e um chute na canela. A vítima da agressão lhe deu voz de prisão, sendo que, mesmo assim, após alguns minutos de tumulto, a agressora deixou o local. O vídeo viralizou na internet e causou revolta geral. Com as informações dos dois BOs e as imagens gravadas os investigadores Aparecido e Carmo conseguiram identificar a agressora, moradora no Eloy Chaves, que foi reconhecida pelas vítimas. As vítimas foram chamadas para ratificarem as acusações e darem continuidade com a representação pelo processo contra a agressora, que também foi intimada. Se for condenada, poderá pegar de 3 meses a 1 ano de prisão pela agressão, leve, e 3 meses pelo crime de injúria. GORDOFOBIA Ao demonstrar sua indignação nas redes sociais sobre a injúria sofrida, a atendente chamou a atenção ao citar o crime como ‘gordofobia’, porém, segundo o advogado criminalista Lucas Grandotto, não existe na lei penal um crime específico contra pessoas obesas. “É um nome popular, assim como criados para outros tipos de crimes. Fato é que, neste caso em questão, nota-se o crime de injúria, por conta da humilhação com base na característica física da vítima”, disse ele. Sobre a pena para o crime de injúria, que já é branda, Grandotto explicou. “Se ela for primária, ou seja, não tiver sido condenada por nenhum outro delito cometido, poderá até mesmo haver uma transação penal, situação em que ela prestaria serviços comunitários, mas tudo, é claro, estará condicionado também ao entendimento do juiz sobre todo o processo”, diz o advogado. A reportagem do JJ apurou, já no final da noite, que a acusada já teve um BO elaborado contra ela, porém, a princípio, sem condenação. Não foi possível saber o motivo da ocorrência.

Notícias relevantes: