Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

No inverno, bancos de leite e de sangue entram em estado de alerta

Simone de Oliveira | 19/07/2019 | 05:01

Infelizmente é um cenário c<CW26>omum e típico os estoques de sangue e de leite humano ficarem baixos na época de frio e no período de férias. Em Jundiaí, tanto o Banco de Leite Humano quanto a Sociedade Beneficente Coleta de Sangue (Colsan) já sofrem com este cenário e por isso apelam para que os doadores voltem a cooperar com as unidades.

A coordenadora do Banco de Leite de Jundiaí, Marcela Bionti, comenta que a unidade está com cerca de 50% da capacidade de seu estoque. O número não é suficiente para atender todos os bebês e por isso diariamente é feita uma análise das solicitações mais urgentes.

São pelo menos 70 doadoras ativas atualmente. “O banco fornece leite para os hospitais Universitário, Pitangueiras e Paulo Sacramento. Para atendimento e doação de leite atendemos Jundiaí, Várzea Paulista, Campo Limpo Paulista, Itatiba, Louveira, Itupeva e Cabreúva. Atendemos mulheres que estão com algum tipo de dificuldade na amamentação. Recebemos doações de mulheres que estão amamentando exclusivamente seus filhos e com sobra de leite”, explica.

Com o frio e as férias, a tendência é diminuir as doações de leite, porém a demanda de bebês não muda. Entre os motivos para essa queda, Marcela destaca o fato de muitas doadoras viajarem nesse período, enquanto outras dar mais atenção para os filhos mais velhos que estão em férias e, sobrecarregadas, não tiram tanto leite. “Toda mulher que está amamentando é uma candidata a doadora de leite, como mencionei anteriormente, mas precisa estar amamentando exclusivamente seu filho, ter leite excedente, não ser fumante, ser saudável e não fazer uso de medicações que contra indiquem a amamentação”, destaca.

Uma das mulheres na lista das mães doadoras é Ellen Gonçalves, de 39 anos. Para ela, doar o leite em excesso tem sido muito prazeroso, em especial sabendo que vai beneficiar muitos bebês prematuros. Antes ou depois da mamada da pequena Catarina, de 33 dias, ela faz a ordenha para que a retirada se torne fácil e em abundância. “Tive as dificuldades normais no início da amamentação, mas pedindo orientação no Banco de Leite consegui fazer a retirada de uma maneira fácil e sem tantas dores.

Agora é aproveitar que ela (a Catarina) mama o dia inteiro e curtir este momento”, conta Ellen.
Com a doação de um litro de leite toda a semana, ela diz se sentir satisfeita com o ato. “Mais que um ato de solidariedade, acho que é um ato de amor. Saber que meu leite está ajudando outros bebês me deixa muito satisfeita”.

SANGUE
De acordo com o gerente médico do Colsan, João Augusto Fernandes, nesta época de anos os doadores saem de férias e deixam de ir até a unidade. Mas ele lembra que os pedidos dos hospitais não param principalmente vindos do São Vicente (HSV). “Nosso maior consumista é o hospital por conta das cirurgias realizadas diariamente e temos que ter um bom estoque para sanar a necessidade da unidade”, destaca.
Segundo o gerente, o sangue dos tipos O negativo e O positivo são os que têm mais saída, porém com poucos doadores. “Mesmo com esta lacuna, sempre fazemos o apelo para que as doações não parem mesmo no período de férias”,

SERVIÇO
Banco de leite: 0800 178155
Colsan: 4521-4025


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/no-inverno-bancos-de-leite-e-de-sangue-entram-em-estado-de-alerta/
Desenvolvido por CIJUN