Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Pela Ordem (18)

Angelo Augusto | 18/09/2019 | 09:08

Justiça determina nova eleição

A Vara da Fazenda Pública de Jundiaí determinou ontem (17) a realização de novas eleições para o Conselho de Saúde de Jundiaí. Por conta de mudança nos locais de provas, três candidatos se sentiram prejudicados e recorreram à Justiça. Após a decisão judicial, a Prefeitura de Jundiaí terá que realizar novas provas, em locais previamente divulgados. A admistração afirmou que ainda não tomou ciência da sentença judicial.

Mais acessibilidade na sessão da Câmara

Em alusão ao setembro verde e ao Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, comemorado no próximo dia 21, o jundiaiense Filipe Azevedo de Lima, que é deficiente físico, fez o uso da Tribuna Livre para reivindicar melhorias na acessibilidade do município e pedir maior valorização da pessoa com deficiência, além de tradução em Libras da sessão da Câmara.

 

Novo presidente do PSL em Jundiai

Cássio Valli é o novo presidente do PSL Jundiaí. A informação foi confirmada na última terça-feira. Cássio, que é empresário do ramo imobiliário, é filiado ao partido desde 2018, mesmo período em que o presidente Jair Bolsonaro também se filiou. O PSL pretende formar uma chapa forte no município para concorrer às eleições de 2020 tanto no Executivo quanto no Legislativo. O partido passou por um período de disputas internas até a escolha do novo dirigente.

Comissão de psicóloga é debatida

A demissão da psicóloga da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Jundiaí, Teresa Moreira de Almeida Giolo, foi repercutida durante a sessão de ontem na Câmara. Vereadores como Rogério Silva (PHS) e Ana Tonelli (PSDB) exaltaram o trabalho prestado pela psicóloga durante tantos anos, enquanto que o delegado Paulo Sérgio (PPS), contrariou seus colegas e saiu em defesa da também delegada Renata Yumi Ono, responsável pela demissão de Teresa

Senado recua e não afrouxa lei eleitoral

Após pressão interna e externa e a tentativa de um acordão com o governo Jair Bolsonaro (PSL), o Senado desistiu de afrouxar as regras eleitorais e deixou para a Câmara dos Deputados um eventual desgaste com mudanças que beneficiariam partidos e políticos. A proposta articulada pelos parlamentares ampliava brechas para caixa dois e reduzia a possibilidade de punição por irregularidades, além de esvaziar os mecanismos de controle.


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/pela-ordem-18/
Desenvolvido por CIJUN