Jundiaí

Pirica: a história viva de Jundiaí nos Abertos


T_Pirica na ginástica - 0911 - 01
Crédito: Reprodução/Internet
Marco Antônio Fernandes, o Pirica, a partir da próxima semana participa de mais uma edição dos Jogos Abertos do Interior, representando Jundiaí. São mais de 35 anos presente na ‘Olimpíada Caipira’. E a cada nova edição, sente um ‘frio na barriga’ “Cada nova edição dos Jogos é uma experiência nova. É uma ansiedade que se renova até pelo ambiente que é a competição e também de defender as cores da cidade no qual a gente se orgulha bastante”, conta. Atualmente treinador da ginástica artística de Jundiaí, Pirica começou sua caminhada nos Abertos ainda na década de 80, jogando no futsal. “E uma montanha-russa, comecei em 1984 no futebol de salão. Estudava na época e na faculdade me interessei e apaixonei pela ginástica. Fui me aprofundar e no fim dos anos 80 comecei ir junto com a ginástica. Teve um período que ainda conciliei as duas.” O ponto-alto da sua carreira nos Abertos foi justamente no primeiro ano que participou - onde conquistou a medalha de ouro com o futsal de Jundiaí, sendo eleito um dos melhores da competição. “É um time que deixa saudade, com muitos amigos que jogávamos juntos. Naquela época tinha uma premiação dos melhores. Paula e Hortência foram premiadas no basquete. E eu não pude ir, pois meu pai tinha uma reunião e ele que iria me levar.” Para edição de 2019, Marco Antônio estará junto com um grupo jovem, mas com determinação de obter o seu melhor nos aparelhos. “A gente passou do sub-14 para o adulto. É uma equipe que foi vencedora, mas agora nesta categoria teremos uma dificuldade maior. Se classificamos via os Regionais com o quinto melhor resultado. Entre a gente e o terceiro lugar a diferença é pequena”, conta. As atletas da equipe são apenas elogios ao ‘mestre’. “A gente tem muita confiança nele. Quando temos dificuldades procuro ele, e com diálogo nos ajuda bastante, conta Maria Eduarda, que completou 15 anos durante a semana. Lívia Amores lembra o dia que esteve nervosa. “Ele conversou comigo e me acalmou. E consegui acertar a série.”

Notícias relevantes: