Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Por realização, profissionais mudam de área

COLABORAÇÃO DE GRAZIELLY COELHO | 28/07/2019 | 05:02

O número de pessoas insatisfeitas com o rumo de sua vida profissional têm crescido nos últimos anos.

Segundo uma do autor e consultor de carreiras Fredy Machado, no final de 2017, cerca de 90% das pessoas estavam infelizes em seus trabalhos. Desse percentual, 64% gostariam de fazer algo diferente do que fazem hoje para serem mais felizes. São esses os profissionais que largam as carreiras em que se formaram e atuaram durante anos e decidem começar, do zero, uma nova vida.

A pedagoga Sue Ellen Pretti, de 29 anos, se formou em 2010 e trabalhou na área durante quase dez anos, mas foi com a pretensão de aumentar sua renda, que encontrou no empreendedorismo uma nova paixão. “Sempre gostei da área de eventos. Organizava as festas da família e me identificava muito com isso. Então, comecei a investir em locação de brinquedos para festas e hoje tenho uma empresa de eventos infantis”, conta a profissional.

Apesar da mudança, Sue Ellen nunca deixou de lado seu amor pelas crianças e revela estar sempre presente nos eventos junto com a sua equipe. “Sinto falta do contato diário com os pequenos em sala de aula, mas, por outro lado, é muito gratificante ver suas ideias saindo do papel e tomando forma.”

Mesmo com o alívio de transformar a vida profissional, as escolhas da pedagoga trouxeram novos desafios. “Não é fácil ficar de sábado e domingo até altas horas, mas faço isso com muito amor e, finalmente, me encontrei 100% no que eu gosto. Então, a situação fica mais leve.”

Para o jornalista André Savazoni, de 45 anos, a educação física sempre foi um sonho, mas ficou adormecido por mais de duas décadas. Após 25 anos trabalhando no universo noticioso, o profissional decidiu que era hora de mudar de vida.

“Por duas ou três vezes, pensei em entrar na faculdade, mas fui deixando de lado. Então, em 2015, corri atrás desse sonho, comecei a estudar e me formei em bacharelado em Educação Física”, conta o educador.

Atualmente, André se divide entre textos e corridas e se revela extremamente feliz profissionalmente, mas também enfrentou alguns desafios antes de conquistar seu objetivo. “Não é fácil abrir mão de uma carreira sólida e recomeçar do zero. Foram alguns passos para trás, mas depois consegui dar muitos passos para frente.”

Insatisfação
Segundo a psicóloga Mariana Karina, de 32 anos, essa tendência de troca de profissão acontece, principalmente, em razão da busca por uma melhor qualidade de vida e maior flexibilidade na rotina.

Além disso, a especialista também alerta para os possíveis transtornos que a insatisfação profissional pode ocasionar, como o surgimento da gastrite nervosa. “A insatisfação pode gerar vários problemas, como a depressão. Alguns podem ficar muito ansiosos e irritados, o que promove o estresse e pode gerar prejuízos clínicos, sejam emocionais ou físicos. Por isso, a pessoa que se sente insatisfeita precisa ver isso como uma dificuldade real do seu corpo e procurar ajuda especializada.”

Aos 29 anos, Sue Ellen trocou as salas de aula pelo universo empreendedor e hoje atua na área de eventos infantis

André Savazoni era jornalista e sempre teve o sonho de fazer Educação Física


Leia mais sobre |
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/por-realizacao-profissionais-mudam-de-area/
Desenvolvido por CIJUN