Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Preço dos acompanhamentos do bacalhau deixa Páscoa salgada

COLABORAÇÃO DE FELIPE CARDOSO | 19/04/2019 | 05:05

A tradicional bacalhoada da Semana Santa parece estar um pouco mais salgada do que de costume, e isso não se deve aos temperos ou qualidade da comida, e sim pelo preço do peixe e dos acompanhamentos.
De acordo com pesquisa realizada pela Fundação Getulio Vargas (FGV), com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor-10 (IPC-10), a inflação do cardápio da Semana Santa, calculada entre abril de 2018 e março de 2019, foi de 17,15%.
Em uma loja do Mercadão da Vila Arens, a única opção disponível para atender a demanda dos consumidores é o filé alto de bacalhau, que está saindo R$95 o quilo.
No entanto, o que mais chama a atenção é o alto valor do quilo do pimentão vermelho, tomate, batata e cebola, que está custando R$24,90, R$9,90, R$7,90 e R$7,00, respectivamente.
Segundo Patrícia Rígolo, uma das responsáveis pelo estabelecimento, os preços das verduras são os que mais sofrem variações. “As safras não estão tão carregadas quanto em outras oportunidades devido a fatores climáticos. E ainda somando com essa época de Semana Santa, o preço das verduras e legumes acaba subindo mesmo. Os preços do pimentão e do tomate estouraram e chegaram em um valor que não me lembro de ter visto antes”, afirma.
O proprietário da loja, Odair Rígolo, diz que os preços desses itens são alterados com frequência desde o início do ano e ainda fez uma comparação das vendas de 2019 com os mesmos meses de 2018. “Não está sendo um ano com grande safra desses produtos e já ouvi algumas pessoas reclamando, principalmente sobre o valor da batata e do tomate. Em um comparativo com o ano passado, as vendas caíram até o momento”, explica.
Para a aposentada Maria Inês Benevides, o jeito para rechear a mesa nas refeições comemorativas da Semana Santa foi comprar o bacalhau antecipadamente e ainda procurar por outras alternativas mais econômicas para substituir alguns desses acompanhamentos que estão mais caros do que o normal. “Comprei já tem uma semana e ainda optei pelo lombo de bacalhau, que é mais barato, rende mais e tem menos espinhas. Mesmo com todas essas adaptações ainda tive que pagar no cartão de crédito, pois gastei R$300 em dois quilos do peixe”, destaca Maria.
Segundo a aposentada, a antiga receita que costuma preparar para toda a família nos domingos de Páscoa conta com tomate, cebola e batata, porém, desta vez ela terá de usar a criatividade e o improviso na hora de cozinhar. “Vou levar a batata porque é algo essencial para acompanhar o bacalhau. Os outros itens eu não vou levar e estou pensando em fazer um creme com queijo ralado que meus netos adoram”, afirma.

PRECO DOS DERIVADOS DO BACALHAU MARIA INES


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/preco-dos-acompanhamentos-do-bacalhau-deixa-pascoa-salgada/
Desenvolvido por CIJUN