Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Prefeitura discute situação de quem pede ajuda em semáforo

THIAGO AVALLONE | 24/09/2019 | 05:02

A grande presença de moradores em situação de rua e de quem busca ajuda nas principais avenidas de Jundiaí tem preocupado população e órgãos responsáveis. Foram confirmadas 33 pessoas que pedem ou tentam trocar algo por dinheiro nos semáforos da cidade. Atenta a isso, a prefeitura criou em junho uma comissão intersetorial de intervenção para tratar o assunto.

Essa comissão é composta por representantes das Unidades de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS), de Mobilidade e Transporte (UGMT), de Promoção da Saúde (UGPS), de Governo e Finanças (UGGF), de Cultura (UGC), do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM) da Casa Civil (UGCC) e da Guarda Municipal.

Conforme levantamento nos primeiros dez dias de junho, a maior concentração é nos semáforos das avenidas Nove de Julho, Jundiaí, Antônio Frederico Ozanam e XV de Novembro, além dos bairros Ponte São João e Vila Arens.

A UGADS explica que intensificou a campanha ‘Não dê esmolas, ajude de verdade’, que promove a conscientização quanto à necessidade de oferecer orientação sobre os serviços públicos promovidos para a construção de perspectivas de futuro e saída da situação de rua a quem precisa.

Populares dizem se sentir inseguros com a situação, principalmente durante a noite, quando alguns dos moradores em situação de rua estão alcoolizados e se aproximam dos veículos.

“Muitas vezes paramos nos semáforos na avenida Nove de Julho e sempre alguém vem pedir dinheiro. Dá um pouco de medo. As vezes estão em dois ou três, e alcoolizados”, conta Regiane Alves, moradora do Centro.

Na avenida Antônio Frederico Ozanam, próximo ao Sesc, o jundiaiense Sergio Rodrigues, de 32 anos, conta que é alcoólatra há 19 anos e há quatro dorme com seu primo na Praça Conceição Aparecida, próxima ao Sesc.

“Aprendi isso dentro do sistema. Durmo aqui nesse local há quatro anos, só eu e meu primo. Saí de casa porque eu queria deixar minha família viver. Sou alcoólatra desde os 13 anos. Quando percebi que a dona Juraci, minha mãe, não sorria mais, decidi sair de casa”, explica emocionado Sérgio Rodrigues.

Patrulhamento
A Guarda Municipal informa que vem intensificando o patrulhamento comunitário bairros da cidade, de segunda a segunda, inclusive nos feriados.

Diariamente, além do patrulhamento, faz a abordagem das pessoas em situação de rua, identificando principalmente aquelas em atitude suspeita que são conduzidas ao plantão policial quando a circunstância exige.

Junto ao trabalho dessas equipes, tem ainda o reforço dos integrantes do Apoio Tático e Canil.

Diariamente as pessoas em situação de rua abordadas recebem orientação por parte da Guarda Municipal de Jundiaí e o encaminhamento necessário ao atendimento junto às instituições e setores que as acolhem
Também são feitas ações específicas e pontuais nos bairros, integradas com setores especializados no atendimento social. Sempre procurando oferecer apoio.


Leia mais sobre |
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/prefeitura-discute-situacao-de-quem-pede-ajuda-em-semaforo/
Desenvolvido por CIJUN