Jundiaí

Prefeituras buscam alternativas para a retomada econômica

ESPECIAL CORONAVIRUS AVENIDA SAO JOAO
Crédito: Reprodução/Internet
A pandemia do novo coronavírus impactou não só o sistema de saúde, mas toda a atividade econômica no Brasil e no mundo. Uma forte recessão pode atingir toda a economia mundial caso os governos nacionais, estaduais e municipais não tomem medidas para amenizar os efeitos do isolamento social, que fechou comércios e paralisou grande parte do setor de serviços. Sabendo disso, os prefeitos do Aglomerado Urbano de Jundiaí já começam a pensar em alternativas para retomar gradualmente a atividade econômica de cada município, principalmente em relação aos pequenos empreendedores, que são quem mais estão sofrendo com a crise. Em Jundiaí, o Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) entrou com uma ação na Justiça para revogar o decreto do Executivo municipal que determinou a flexibilização da quarentena para a abertura de alguns estabelecimentos comerciais. Uma resposta foi enviada na quinta-feira (23), onde a prefeitura alega que não fere as orientações de isolamento social, bem como de afastamento controlado e que há uma harmonia entre os regramentos municipais e a legislação estadual e que há razoabilidade no funcionamento de atividades que não geram aglomeração. O MPSP estipulou multa diária de R$ 50 mil caso Jundiaí não obedeça as recomendações. A Prefeitura de Cabreúva está desenvolvendo uma campanha para valorizar os comerciantes e prestadores de serviço da cidade e ajudá-los a enfrentar esse período de “portas fechadas”. Com o tema “Apoie o comércio de Cabreúva”, a campanha prevê a divulgação de peças publicitárias, estampadas por empresários cabreuvanos, com o objetivo de sensibilizar o consumidor a ajudar a manter a economia local aquecida, comprando dos comerciantes do bairro. Além disso, é uma maneira de incentivar os empresários a se adaptarem ao atual momento usando a internet e o sistema delivery. Em Campo Limpo Paulista, a prefeitura criou uma comissão formada por comerciantes e técnicos da Saúde para avaliar o funcionamento dos vários tipos de comércio na cidade. Proprietários de comércios defendem a reabertura, principalmente para as vendas de Dia das Mães, mas sofrem resistência do Executivo. "O decreto municipal não pode se sobrepor ao do estado, portanto temos que direcionar as decisões conforme as orientações da Organização Mundial da Saúde e do Governo do Estado", explicou a chefe de gabinete, Telma Braga. Em Várzea Paulista, o prefeito Juvenal Rossi (PV) destaca que é difícil prever o que possa acontecer em um futuro próximo. “Várzea Paulista irá seguir os decretos estaduais, portanto, não há um cronograma pré-definido para a reabertura, seja gradual ou instantânea. Tudo depende dos resultados das ações de controle da pandemia”, comenta. Procuradas, as cidades de Itupeva, Jarinu e Louveira não retornaram até o fechamento desta edição.

Notícias relevantes: