Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Primeiro morto por febre maculosa no AUJ pode ter contraído doença em Itu

BÁRBARA NÓBREGA MANGIERI | 28/08/2018 | 11:30

Depois da matéria sobre a primeira morte por febre maculosa na Região, de um morador de Itupeva, a família da vítima entrou em contato com o Jornal de Jundiaí e informou que Marcio Chaves Ferreira, de 37 anos, pode ter contraído a doença em uma fazenda de Itu. O irmão de Marcio, Marcos Chaves Ferreira, conta que sua filha, Júlia, também foi infectada depois de uma viagem pela Região, em julho.

Ela ficou internada no hospital Jabaquara, em São Paulo, onde a doença foi detectada rapidamente e tratada. Marcio começou a apresentar os sintomas na mesma época. “Ela ficou com febre dia 17 de julho, ele teve febre dia 18”, conta.  Segundo o irmão, Marcio teria procurado o atendimento de urgência da Unimed, na avenida Jundiaí, mas foi mandado de volta para casa sem exames. “Ele tinha feito uma cirurgia nos dentes no dia anterior e os médicos devem ter pensado que isso causou a febre”, diz Marcos.

Marcio voltou a procurar atendimento nos dias 21, 22 e 24, mas a febre maculosa não foi considerada entre as possibilidades analisadas pela equipe da Unimed. No dia 24, ele ficou em observação no local e a família foi informada que ele seria internado em uma UTI no dia seguinte. “No dia 25 eu fui até lá avisá-los sobre minha filha e dizer que podia estar relacionado, mas ele faleceu às 14h”, conta Marcos.

Segundo Marcos, a Unimed entregou um atestado de óbito de pneumonia, mas a família não aceitou. “Mesmo depois que falei da minha filha, que estava na UTI na época, eles não quiseram relacionar os casos”, lamenta. Ele então pediu uma autópsia ao IML, que confirmou a morte causada por febre maculosa. Em nota, a Unimed informou que “as condutas médicas adotadas para o quadro apresentado naquele momento foram adequadas em relação às queixas apresentadas pelo paciente e exames realizados”.

A princípio, a família pensou que Itupeva pudesse ter sido o local de infecção, já que a família ficou hospedada na cidade, na casa de Marcio, durante as férias de julho. A Prefeitura de Itupeva, porém, afirma que fez uma inspeção no local e não encontrou indícios do carrapato-estrela, transmissor da doença.

Agora, a família suspeita que Marcio e Júlia tenham contraído a doença em Itu, onde visitaram uma fazenda turística juntos. A cidade fica a menos de 10 km de Salto, onde uma adolescente de 15 anos morreu no último dia 29 de julho de febre maculosa. A Prefeitura de Itu afirma que não foi notificada sobre o caso de Marcio e, portanto, não está envolvida na investigação de seu caso, que está sendo encabeçada pela Unidade de Vigilância de Zoonoses de Jundiaí. Em Itu, já houve um óbito confirmado relacionado à doença e outros quatro suspeitos estão em acompanhamento ambulatorial.

Foto: arquivo pessoal

Foto: arquivo pessoal


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/primeiro-morto-por-febre-maculosa-no-auj-pode-ter-contraido-doenca-em-itu/
Desenvolvido por CIJUN