Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Procura por vacinas triplicam em clínicas

ISABELA CRISTÓFARO | 16/03/2019 | 05:00

A procura por vacinas contra a meningite aumentou em clínicas particulares, após a morte do neto do ex-presidente Lula, no início deste mês, em Santo André.
Em Jundiaí, em apenas uma clínica, a procura triplicou nos primeiros quinze dias de março para a imunização dos tipos B e ACWY, que custam, respectivamente, R$ 590 e R$340. De acordo com as clínicas da cidade, a procura maior é para crianças e adolescentes.
A vacinação é uma das formas de se prevenir contra a doença, conforme orienta a pediatra do Hospital Universitário e professora da Faculdade de Medicina de Jundiaí, Maria de Fátima Valente. Segundo ela, os casos do tipo C vêm aumentando consideravelmente em razão da falta de imunização. “A vacina para o tipo C está no calendário de vacinação nacional, disponível na rede pública, e as crianças devem tomar aos três, cinco e sete meses, bem como ter o reforço aos doze meses”, explica.
Sobre os sintomas, a pediatra esclarece: “Podem ser variados e se parecem com a gripe. Mas há um fator que merece atenção, as ‘manchinhas’ que aparecem no corpo semelhantes com picadas de inseto”, alerta.
A estudante Luana Scorsoni, 19 anos, teve meningite bacteriana em maio do ano passado. Ela conta que chegou pálida ao hospital, com fortes dores de cabeça e vomitando. No início, os médicos não descobriram o que Luana tinha. O teste que um dos profissionais fez para descobrir a doença foi abaixar sua cabeça para que ela a encostasse no queixo. “Não encostou, eu gritei de dor. Assim ele descobriu que era meningite, me mandou direto para a UTI de isolamento”, diz. “Quando cheguei na UTI, fizeram a coleta do lícor, que serviu para confirmar a suspeita de meningite. Eu entrei em coma por 8 dias, sendo medicada com antibióticos”, completa.
Luana não apresentou sequelas, no entanto, relata que teve convulsão e toma medicamentos anticonvulcivos até hoje, três vezes ao dia. A estudante precisa também passar por consulta com neurologista uma vez por ano para reduzir as doses do anticonvulsivo e verificar se está estável.
Em Jundiaí, foram registrados dois casos de meningite bacteriana nos dois primeiros meses de 2019. Três tipos de vacina são fornecidos pela Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), por meio da Vigilância Epidemiológica (VE). Além da Meningocócica C, há a Pneumo 10 que protege contra 10 tipos de pneumococos que podem causar pneumonias e meningites e a Hib, que protege contra meningites causadas pelo heaemofilus influenza tipo B.
As demais vacinas ACWY e a B, são encontradas apenas na rede privada.

VACINA MENINGITE


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/procura-por-vacinas-triplicam-em-clinicas/
Desenvolvido por CIJUN