Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Quase 7 mil beneficiários do INSS não fizeram prova de vida em Jundiaí

NIZA SOUZA - csouza@jj.com.br | 15/03/2018 | 03:03

O prazo para o comparecimento dos aposentados e pensionistas fazerem a comprovação de vida em 2017 terminaria em 31 de dezembro passado. Contudo, devido ao grande número de beneficiários que não realizaram o procedimento, o prazo foi estendido até 28 de fevereiro de 2018. Mesmo assim, ainda há 2,4 milhões no País que não comprovaram que estão vivos. Em Jundiaí, são 6.904 pessoas, de acordo com levantamento do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Somando os outros municípios do Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) – Várzea Paulista (1.060), Campo Limpo Paulista (548), Louveira (295), Itupeva (309), Jarinu (266) e Cabreúva (279) -, são 9.661 beneficiários que ainda não fizeram a prova de vida de 2017. Para a presidente da Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí e Região, Fé Juncal, o número é alto. “Considerando que temos cerca de 60 mil aposentados na cidade, esse número significa mais de 10%”, calcula.

Segundo Fé, a associação não tem recebido beneficiários com esse problema. “Parte dessas pessoas que ainda não foram fazer a prova de vida pode ser de pessoas doentes, que dependem de familiares ou de outras pessoas para se locomoverem. Ou até mesmo que não tenham condições de sair de casa e precisam de um procurador para fazer o procedimento”, explica. Nesses casos, orienta a presidente da associação, a prova de vida pode ser feita por um procurador que esteja cadastrado no INSS.

Orientações
Para quem perdeu o prazo, o primeiro passo é ir, o quanto antes, ao seu banco pagador para regularizar a situação, pois se o beneficiário não fizer a comprovação, o benefício é suspenso e, após um período, é então cessado. Toda pessoa que recebe benefício do INSS precisa fazer a comprovação de vida anualmente. Cada banco trata a data para comprovação de vida da forma mais adequada à sua gestão: existem bancos que utilizam a data do aniversário do beneficiário, outros utilizam a data de aniversário do benefício, e ainda há aqueles que convocam o beneficiário um mês antes do vencimento da última prova de vida realizada. A comprovação de vida visa a dar mais segurança ao cidadão e ao Estado brasileiro, evitando pagamentos indevidos de benefícios. O procedimento é obrigatório para todos os beneficiários do INSS que recebem seus pagamentos por meio de conta corrente, conta poupança ou cartão magnético, inclusive para aqueles que recebem benefícios assistenciais. No ano passado, mais de cem mil (112.729) benefícios foram suspensos/cessados, gerando uma economia de R$ 1,2 bilhão.


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/quase-7-mil-beneficiarios-do-inss-nao-fizeram-prova-de-vida-e/
Desenvolvido por CIJUN