Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Raiva: veja quais cuidados tomar para prevenir contágio humano e animal

GUSTAVO AMORIM - gamorim@jj.com.br | 23/02/2018 | 15:30

A morte por raiva confirmada em um bovino e a suspeita de outros cinco animais com a doença ligou o sinal de alerta entre os moradores de Jundiaí e Região. A doença tem alta taxa de mortalidade em humanos quando não tratada. Por isso, o JJ detalha quais são os cuidados que você, leitor e internauta, precisa tomar para evitar o contágio da doença, que chega através dos animais.

CAMPANHA DE VACINACAO ANTIRRABICA NA VILA APARECIDA VACINACAO CONTRA RAIVA DE ANIMAL VACINACAO EM CACHORROS

Campanha de vacinação antirrábica em     cachorros. Arquivo/Jornal de Jundiaí

 VACINAÇÃO DOS PETS

A vacinação de cães, gatos e outros mamíferos domésticos é a única forma de manter a raiva controlada. A aplicação da dose nos bichinhos precisa ser feita anualmente, inclusive por força de lei. Proprietários de cães e gatos que não imunizaram os animais em 2017 precisam vaciná-los. Em Jundiaí, a vacinação é permanente e gratuita na Unidade de Vigilância Sanitária, que fica na Rua dos Bandeirantes, 375, bairro Ponte de Campinas. Atendimento acontece de segunda-feira à sexta-feira das 8h às 17h. Todos os animais de grande porte, principalmente na área rural, também precisam ser vacinados. Segundo o Gerente da Unidade de Vigilância Sanitária de Jundiaí, Carlos Ozahata, as vacinas para esse tipo de mamífero são encontradas em agropecuárias.

LEIA MAIS: Jundiaí registra uma morte por raiva confirmada

HUMANOS

O infectologista Saulo Passos lembra que não há vacina preventiva contra a raiva para seres humanos, apenas existem doses ministradas quando a doença já está confirmada. Por isso, todo cuidado é pouco nas áreas rurais e urbanas, e evitar contato com animal é a melhor prevenção. Qualquer mordida que uma pessoa sofra por parte de animais com suspeita da doença deve ser lavada por pelo menos 10 minutos com água e sabão, e a pessoa ser levada imediatamente ao pronto socorro mais próximo (Hospital São Vicente, no caso de adultos e Hospital Universitário no caso das crianças, em Jundiaí). Passos lembra que também é importante forrar casas para evitar aglomeração de morcegos. Caso você veja algum animal morto, não use as mãos, chame a Unidade de Vigilância Sanitária para fazer o recolhimento dos restos mortais.

CAMPANHA DE VACINACAO ANTIRRABICA NA PONTE SAO JOAO VACINACAO CONTRA RAIVA DE ANIMAL VACINACAO EM CACHORROS

Foto: Arquivo/Jornal de Jundiaí

RAIVA
A raiva é uma doença contagiosa transmitida que atua no sistema nervoso. será fatal ao ser humano contaminado se não for tratada. Há menos de 15 mil casos registrados anualmente no Brasil.

TRANSMISSÃO

Cães e gatos são os principais transmissores por aqui, além do morcego, mas outros animais silvestres também podem transmiti-la. O contágio é feito através da saliva, mordidas, lambidas ou feridas causadas por animais ou insetos já contaminados e. O simples contato na pele do animal não transmite a doença.

SINTOMAS HUMANOS E EM ANIMAIS

Os principais sintomas da doença em humanos são febre, dor de cabeça, salivação excessiva, espasmos musculares, paralisia e confusão mental. Porém, as pessoas também podem ter dores nos músculos, mal-estar, perda de apetite, tontura, comportamento agressivo/inquieto, irritabilidade, alucinação, delírio, medo, náusea, vômito, sensibilidade à luz, formigamento, ansiedade, confusão mental, convulsões, dificuldade em engolir, pupila dilatada e torcicolo. Já nos animais, os principais sintomas são falta de apetite, dificuldade para caminhar, sinais de convulsão e salivação intensa.


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/raiva-veja-quais-cuidados-tomar-para-prevenir-contagio-humano-e-animal/
Desenvolvido por CIJUN