Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Rede perde 1/3 de água e DAE quer reverter cenário

VINICIUS SCARTON | 13/01/2019 | 14:00

Com um terço de perda na distribuição de água em Jundiaí, a DAE S/A pretende reverter a situação em até cinco anos. De acordo com o gerente de Controle de Perdas da DAE, Osmar Aparecido Raphael, tendo como base o Plano Diretor de Controle de Perdas, o índice aceitável para o município gira em torno de 28% a 30% de perdas. O levantamento mais recente é o do primeiro semestre de 2018. Na ocasião, a DAE registrou o índice de 34,2% de perdas. No entanto, segundo Osmar, gradativamente as reduções estão sendo alcançadas.

O Ministério da Cidade apontou no ano de 2016, que Jundiaí chegou a perder 42,8% na distribuição de água e naquele ano o índice foi superior ao Brasil, que contabilizou 38,1% e o estado de São Paulo com 36,1%. “Mas naquele período, a DAE realizou uma revisão de estudo baseado ao Sistema Nacional de Informações de Saneamento e o ciclo foi fechado com 38% de perda”, ressalta Osmar. Já em 2017, o levantamento apontou o índice de 37,3% de perdas.

A DAE também informa que a perda de distribuição de água acarreta na perda de faturamento. Em 2016, a perda financeira foi de 34,4%. Já em 2017, 21,3% e no primeiro semestre de 2018, 24,5%. Com a intenção de reduzir a perda de distribuição de água, Osmar afirma que a DAE tem realizado diversas ações junto à população e também investindo em estrutura. “Temos reforçado a importância do uso consciente da água, junto à população, destacando as mudanças de hábitos, desde escovar os dentes e não manter a torneira aberta, servindo também ao lavar a louça. Outra dica importante é não demorar ao tomar banho e utilizar baldes em vez de mangueiras ao lavar o carro”, recomenda.

Além destas ações pontuais, Osmar afirma que a DAE realizou, em 2017, a instalação de válvulas redutoras de pressão, macromedidores, alteração de setor de abastecimento, criação de estações pitométricas, que medem a velocidade do curso da água, troca de hidrômetros em diversos bairros da cidade.

Já em 2018, a DAE informa que registrou diminuição nos índices de perda em função do trabalho de renovação das redes de distribuição e do parque de hidrômetros. A empresa detalha que 90% das redes de água estão no passeio (calçada) e, dos quase dois mil quilômetros de rede, faltam apenas 30 quilômetros para serem modernizados.

A DAE explica que há, atualmente, cerca de 110 mil ligações de água em Jundiaí. Desde 2017, 20 mil hidrômetros foram trocados por terem mais de cinco anos de uso. Além disso, a Gerência de Controle de Perdas realiza ações de setorização da cidade – são 55 setores e 56 subsetores de abastecimento – e a instalação de macromedidores. Por meio de um processo de seleção de projetos, realizado anualmente pela Agência das Bacias PCJ e Comitês PCJ, a DAE executará R$ 2 milhões em investimentos.

Deste total, R$ 1,3 milhão será repassado pela Agência PCJ, a fundo perdido, e R$ 755,8 mil serão de contrapartida da empresa e os recursos serão aplicados no combate a perdas. A ação prevê a troca de 15 mil hidrômetros, nas regiões dos bairros Vila Liberdade, Ponte São João, Jardim Rio Branco, Jardim Pacaembu, Jardim Fepasa, Colônia, São Camilo, Jardim Tamoio, Jardim Ângela e Ivoturucaia, entre outros.

Por fim, a DAE ressalta a existência do projeto que prevê um conjunto de ações que visam reduzir em nove pontos percentuais o índice de perdas do município (de 42,08% em 2016 para 33% num período de três anos) por meio de ações como macromedição, pitometria e automação no sistema distribuidor; sistema de cadastro técnico e modelagem hidráulica; além da troca de 18 mil hidrômetros por ano – ou seja, um total de 54 mil hidrômetros em três anos, com investimento previsto de R$ 20,3 milhões.

T_DAE_4


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/rede-de-esgoto-perde-13-de-agua-e-dae-quer-reverter-cenario/
Desenvolvido por CIJUN