Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Região de Jundiaí perde 35 médicos com a saída de Cuba do ‘Mais Médicos’

BÁRBARA NÓBREGA MANGIERI | 23/11/2018 | 05:00

O Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) perdeu 35 médicos cubanos, que atuavam nos bairros periféricos de cinco das sete cidades da Região através do programa Mais Médicos, criado em 2013 pelo governo federal. No AUJ, a saída de Cuba do programa, anunciada no dia 14 de novembro, afetou em especial as cidades de Várzea Paulista e Campo Limpo, que perderam 10 profissionais cada uma.

A Prefeitura de Várzea Paulista informou que os profissionais cubanos, em sua maioria clínicos gerais, deixaram de atender seis unidades básicas de saúde (UBSs) desde quarta-feira (21). Os bairros mais afetados foram Vila Real, Jardim América IV e Vila Marajó, que estão sem clínicos gerais. Nos bairros Cidade Nova II, Jardim Promeca e Jardim Cruz Alta o quadro de funcionários também está reduzido. “As avaliações médicas gerais e visitas domiciliares ficarão impossibilitadas até a reposição desses médicos, salvos os casos urgentes, aos quais precisaremos atender”, explica Mônica Rodrigues, gestora de saúde.

Já em Campo Limpo Paulista, oito UBSs foram afetadas pela saída dos médicos. A prefeitura local informa que as equipes da Secretaria de Saúde estão trabalhando para remanejar agendas e reagendar consultas até que o governo federal consiga repor os profissionais.

Cabreúva, por sua vez, perdeu sete médicos cubanos na terça-feira (20), quando eles deixaram de atuar no município. Eles atendiam nas unidades do Centro, Vale Verde, Vilarejo, Pinhal e Policlínica do Jacaré. Até que sua reposição seja feita, as gestantes atendidas no Vale Verde serão temporariamente direcionadas para acompanhamento com médicos obstetras da unidade central, enquanto as grávidas atendidas em Pinhal serão transferidas para a Policlínica Wilson Federzoni (Jacaré).  A Secretaria de Saúde está orientando os demais pacientes com consultas e exames agendados com médicos cubanos a entrarem em contato com a unidade a qual pertencem para resolver a questão.

Em Itupeva, cinco médicos cubanos também deixaram de atender a população. Segundo a prefeitura, os bairros afetados pela saída deles são Vila São João, Rio das Pedras, Santa Fé, Santa Elisa, Quilombo, Guiomar e Monte Serrat. Jundiaí perdeu três profissionais cubanos, que atuavam nas UBSs do Jardim São Camilo, Vila Esperança e Rio Acima. Os municípios de Jarinu e Louveira não tinham médicos cubanos atuando na rede pública.

Reposição
O Ministério da Saúde abriu um processo seletivo para os médicos brasileiros com CRM Brasil ou com diploma revalidado no país nessa terça-feira (20), para contratar 8.517 médicos e fazer as reposições necessárias em 2.824 municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas. O início das atividades está previsto para 3 de dezembro.
No dia 27 de novembro, está prevista a abertura de novo edital, destinado a brasileiros formados no exterior e estrangeiros.

T_mais_medicos


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/regiao-de-jundiai-perde-35-medicos-com-a-saida-de-cuba-do-mais-medicos/
Desenvolvido por CIJUN