Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

RETROSPECTIVA 2017: Jundiaí registra um caso de febre amarela

Ariadne Gattolini . agattolini@jj.com.br | 31/12/2017 | 11:40

[vc_row][vc_column][vc_column_text]POPULAÇÃO IMUNIZADA

febreamarela

O ano para a cidade foi marcado pela corrida da população aos postos de saúde para se imunizarem contra a febre amarela. Mas os destaques também foram pelo cancelamento dos desfiles de Carnaval pelas ruas e a falta de verbas para o Grendacc.

Jundiaí registrou em dezembro o primeiro casos suspeito de febre amarela em humanos. De acordo com a Vigilância Epidemiológica, o homem foi o único membro de sua família a não se imunizar contra a doença. Pelo menos 72 macacos foram encontrados mortos na cidade e o reforço das doses foram ampliadas no segundo semestre, justamente por conta dos primatas mortos.

Depois da notificação da suspeita, a Vigilância Epidemiológica reforçou as doses da vacina em todas as unidades de saúde e abertas à população. Em Ivoturucaia, por exemplo, assim como em regiões rurais, o trabalho foi “casa a casa” para imunizar os moradores que ainda não se vacinaram.

Até dezembro cerca de 92% (277,6 mil doses) da população de Jundiaí tinha sido imunizada contra a doença, mesmo assim. com a permanência da circulação do vírus, a vacinação continua nas 36 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município.

AEROPORTO

 

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), esteve em Jundiaí e
assinou o contrato com a concessionaeroária Voa São Paulo que passa a administrar cinco aeroportos estaduais, entre eles o de Jundiaí (Comandante Rolim Adolfo Amaro).

Os outro quatro são o de Campinas (Campo dos Amarais), Bragança Paulista, Itanhaém e Ubatuba. O aeroporto de Jundiaí receberá R$ 20,5 milhões, que serão usados para realizara melhorias no sistema de pista e sinalização e reforma e ampliação do terminal.

ALÇAS VÃO MELHORAR MOBILIDADE

alças

Com a presença do governador Geraldo Alckmin e autoridades da Região foi inaugurado, em novembro, a primeira fase do Complexo Viário Prefeito Ary Fossen. Além de beneficiar toda a cidade ao reorganizar o fluxo de veículos, as novas alças também irão melhorar a mobilidade de moradores da região dos bairros Vila Comercial, Vila Maringá, Jardim Martins, Nova Jundiaí e adjacências.

A nova interligação entre o viário municipal e as alças será responsável por criar uma opção para o deslocamento em direção ao Centro. Esta interligação será feita a partir da avenida Odila Azalim (paralela à marginal sul da rodovia Anhanguera), que será conectada diretamente às alças.

O complexo foi elaborado em parceria com o governo do Estado, Prefeitura de Jundiaí, CCR Autoban e Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo). O investimento da CCR Autoban, empresa que administra o Sistem Anhanguera/Bandeirantes para essa fase foi de R$ 107 milhões – e R$ 230 milhões no total.

GRENDACC

grendaac

Apesar dos investimentos para a construção do Hospital da Criança, orçado em R$ 3 milhões, e sua inauguração realizada este ano, o Grupo em Defesa da Criança com Câncer (Grendacc) teve o credenciamento de sua Unidade de Terapia Intensiva (UTI) negado pelo Ministério da Saúde.

Com uma dívida na casa dos R$ 2 milhões, a entidade tem recebido ajuda do poder público também da sociedade para continuar com os serviços ambulatoriais.

A negação do credenciamento, segundo o Ministério, seria por conta do número de leitos, abaixo do exigido. Sem ele, a verba de R$ 200 mil mensais via SUS não chega aos cofres da entidade.

JUBILEU DE OURO

jubileu

Na comemoração dos 50 anos da Diocese Nossa Senhora do Desterro, Jundiaí recebeu a visita do embaixador da Santa Sé no Brasil, o núncio apostólico dom Giovanni d’Aniello. Fiéis das 66 paróquias que fazem parte da diocese receberam Dom Giovanni, que foi recepcionado pelo bispo diocesano dom Vicente Costa.

Além de conhecer a realidade das pastorais, o núncio participou do lançamento do novo site da Diocese, da Revista Comemorativa com a história dos 50 anos da Diocese e da Bênçãoda Pedra Fundamental da Fazenda da Esperança, na cidade de Itu.

SEM CARNAVAL

carnaval

Com dívida de aproximadamente R$ 92 milhões, a Prefeitura de Jundiaí não teve recursos em caixa para custear o Carnaval 2017 na avenida Prefeito Luiz Latorre, estimado em R$ 2,4 milhões.

Segundo a Liga Jundiaiense das Escolas de Samba (Lijunes), cada agremiação precisou fazer eventos em suas próprias comunidades para custear as despesas já assumidas com fantasias e outros detalhes.

Sem o desfile quem brilhou este ano foram os blocos de rua que garantiram a folia pelos bairros: alguns contaram com a participação da bateria das agremiações, como o Afro Kekerê, da Vila Rio Branco (foto). Para 2018, a folia na avenida está garantida, afirma a prefeitura.

DECISÃO TEMPORÁRIA

decisao

A área de 110 hectares onde funciona há 50 anos o Centro de Engenharia e Automação do Instituto Agronômico de Campinas (CEA-IAC) foi retirada provisoriamente da lista do Fundo de Investimento Imobiliário do Estado de São Paulo.

Um dos motivos da retirada pode ter sido a suspensão temporária do pregão presencial que iria contratar a empresa responsável por administrar o fundo. A área do IAC passa, agora, por processo de tombamento pelo Conselho Municipal do Patrimônio Artístico e Cultural (Compac).

PADRINHO LEGAL

padrinho

O programa foi implantado em Jundiaí este ano – numa parceria entre a Vara da Infância e Juventude, o Conselho Tutelar e os serviços de acolhimento da cidade – com o objetivo de ajudar crianças e adolescentes que precisaram ser afastados de seus familiares e que ainda não têm previsão de retornarem para suas famílias de origem a terem uma referência de um adulto que possa acompanhá-lo, orientá-los e mostrar-lhes como é viver em sociedade. No primeiro grupo do programa, 14 pessoas passaram por todas as etapas e foram habilitadas como padrinhos afetivos. Uma nova capacitação está prevista para abril de 2018.

BONS NÚMEROS

escola

A evasão escolar em Jundiaí diminuiu nos últimos três anos, em 2015, por exemplo, os índices foram de 0,90% (no ensino fundamental) e 2,64% (no ensino médio). Dados que vão na contramão do País, onde houve evasão de 11% do total de alunos no mesmo período.

Esses números foram apresentados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão ligado ao Ministério da Educação. Regional de Ensino, essa queda vem ocorrendo devido às investidas dos profissionais, que vão até os alunos para convencê-los a retornar aos estudos ou ainda dar alguma solução, como a inscrição no Ensino de Jovens e Adultos (EJA).

REFERÊNCIA

A Agência Nacional de Saúde (ANS) inicia em 2018 a segunda etapa da campanha “Parto Adequado”, com o objetivo de reduzir o número de cesarianas desnecessárias que podem resultar em problemas clínicos à mãe e ao bebê.

Jundiaí não participa do programa, mesmo assim seus índices estão acima do de muitas cidades. O número de partos normais tem sido maior a cada ano, e em 2017 chegou a 56% contra 44% de cesarianas.

Segundo o Hospital Universitário (HU), de janeiro a novembro deste ano foram contabilizados 3.430 partos, sendo 1.923 normais (59 fórceps) e 1.507 cesáreas.

LIMPEZA PÚBLICA

Os Pontos de Entrega Voluntária, os conhecidos PEVs, inaugurados em maio do ano passado, foram desativados por determinação da Unidade de Infraestrutura e Serviços Públicos da Prefeitura de Jundiaí – um deles ficava no Ivoturucaia.

Por mês são recolhidos entre 1,3 mil a 1,5 mil toneladas de lixo de todos os PEVs,. Agora a opção de descarte são os dois ecopontos instalados no Jardim do Lago e no Morada das Vinhas. Porém, outros dois serão construídos: um no Novo Horizonte e outro no Jardim São Camilo[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/retrospectiva-2017-jundiai-registra-um-caso-de-febre-amarela/
Desenvolvido por CIJUN