Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Roubo de carga segue em alta e cresce 58%

SOLANGE POLI | 11/06/2019 | 05:01

Conforme a estatística divulgada mensalmente pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP), o roubo de cargas na região de Jundiaí continua em alta. O último levantamento aponta aumento de 58%, considerando o primeiro quadrimestre deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. O mês mais crítico foi fevereiro, com 16 ocorrências, em março foram 12 e em abril, 10. Além dos roubos de carga, também foi observada uma elevação nos números referentes a roubos de veículos, com alta de 56% no mesmo período.

Nos quatro primeiros meses, segundo os dados estatísticos divulgados em maio, em 2019 já foram 49 registros de roubo de carga, ante 31 no mesmo período de 2018. Quanto a roubos de veículos, foram 92 registros no ano passado, enquanto neste ano saltaram para 144. O mês com maior ocorrência foi fevereiro, quando foram registradas 39 roubos; janeiro e abril tiveram 36 casos e em abril, 33. O delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jundiaí, Luís Carlos Duarte, ressalta que não pode comentar dados estatísticos divulgados pela Secretaria de Segurança Pública estadual, considerando que não possui detalhes da natureza dos registros. “É preciso avaliar caso a caso, por isso não há como comentar, já que essa estatística vem da SSP. Independentemente de qualquer número, seja de crescimento ou de queda, continuamos nosso trabalho forte no sentindo de coibir não somente esses crimes em questão, mas todos os demais”, lembra o delegado.

Em abril deste ano o levantamento também indicou elevação nessa modalidade de crime. Na ocasião, foi divulgado que nos dois primeiros meses de 2019 foram registrados 27 delitos dessa natureza. Em comparação ao mesmo período do ano de 2018 houve um aumento de 68%, sendo 16 registros da infração. Uma dúvida muito comum ainda é a diferença entre roubo e furto de cargas. É considerado roubo quando os criminosos levam toda a carga, geralmente com o caminhão junto. Já o furto é quando os infratores subtraem alguns itens da carga.

Outro agravante para o aumento da estatística, conforme apurado anteriormente, é o interesse dos bandidos pelo cavalo do caminhão. Muitas vezes a carga é encontrada abandonada em locais retirados, o que significa que os criminosos não possuíam interesse na mercadoria em si. O roubo de carga é considerado um crime organizado, geralmente envolvendo quadrilhas, com distribuição e receptação.

OUTROS CRIMES
Furtos e roubos em geral lideram o ranking dos crimes com maior número no quadrimestre. Neste ano foram 384 roubos, ante 335 no mesmo período do ano passado, um aumento de 14%. Já os furtos tiveram uma estatística semelhante com ligeira queda, sendo 1.549 registros no ano passado e 1.543 neste ano. As fontes para os dados estatísticos são o Departamento de Polícia Civil, Polícia Militar e Superintendência da Polícia Técnico-científica.


Leia mais sobre |
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/roubo-de-carga-segue-em-alta-e-cresce-58/
Desenvolvido por CIJUN