Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Sem campanha a opção é a vacina particular

SIMONE DE OLIVEIRA | 13/08/2019 | 05:02

Sem vacinas antirrábicas disponíveis na rede municipal, Jundiaí e as cidades que fazem parte do Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ) não farão as tradicionais campanhas de vacinação. Mesmo assim, segundo especialistas, a obrigatoriedade de vacinar os animais permanece. A opção são as vacinas disponíveis na rede privada com preços a partir de R$ 50 cada dose.

Segundo explica o veterinário Lincoln França, independente de campanha é obrigação do proprietário vacinar seu animal, mesmo com os índices baixos da doença em cães e gatos. Jundiaí contabiliza, segundo a Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), neste ano, cinco morcegos positivos para raiva, mas não há registro em animais de estimação (cães ou gatos) ou em animais de grande porte.

“Não temos registros de casos de raiva no Estado, mas isto não significa que o animal deva ficar desprovido de proteção. A falta de campanhas não desobriga o proprietário a vacinar o animal”, ressalta.

Ainda de acordo com a unidade, mesmo com o não encaminhamento das doses por parte do Ministério da Saúde, a cidade tem intensificado as ações para vigilância da raiva, com o monitoramento das populações de morcegos, observação de cães e gatos agressores, envio de material para diagnóstico e orientação à população.

De acordo com o setor é importante que a população faça a notificação para as autoridades, pelo telefone 156, quando identificar morcegos em situações não habituais, ou seja, nas residências ou voando durante o dia, no chão, vivos ou mortos, para que seja feita a coleta e análise do animal. Até o momento não há informação por parte do Ministério da Saúde (MS) ou da Secretaria de Estado da Saúde (SES) sobre a disponibilização de doses de campanha.

Das mil doses disponibilizadas pela Zoonoses para este ano, 180 foram aplicadas, mas o prazo para zerar a fila será setembro.

PELO AUJ
Itupeva: A cidade também não recebeu o repasse da vacina por parte do Ministério da Saúde e por isso a campanha na cidade foi cancelada. De acordo com a gerente da Unidade de Controle de Zoonoses (UVZ), Gilmara Breda, o apelo é para que as clínicas particulares reforcem o estoque. “Diante deste cenário, nesse momento sem as vacinas, peço ainda mais o apoio das clínicas veterinárias para fortalecer a ação de vigilância. Nós, como setor de UVZ, continuaremos com ações de vigilância da doença e no aguardo de definição ou previsão da realização da campanha antirrábica.”

Campo limpo: Atualmente há um estoque de 600 doses na cidade, mas as equipes tem atuado com frequência para combate da raiva no município, com a investigação de casos suspeitos.

Cabreúva: A cidade aguarda a confirmação para um lote em novembro.

Louveira: A campanha nacional de vacinação antirrábica de 2019 foi cancelada mo município devido à falta de repasse das vacinas pelo Ministério da Saúde.


Leia mais sobre |
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/sem-campanha-a-opcao-e-s-vacina-particular/
Desenvolvido por CIJUN