Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Servidores das duas cidades ameaçam paralisação

| 16/05/2014 | 11:59
Caso as prefeituras de Jundiaí e Várzea Paulista não atendam as propostas salariais exigidas pelos sindicatos dos servidores destes municípios, mais de 10 mil funcionários podem entrar em greve a partir da próxima semana. O aviso foi dado nesta quinta-feira (15) pelas entidades. O Sindicato dos Servidores Públicos de Jundiaí (Sindserjun) emitiu uma carta aberta à população indicando a possibilidade. Em Várzea, representantes da categoria também planejam greve para a próxima semana. Somente a Prefeitura de Itupeva apresentou proposta que agradou aos 1,5 mil servidores locais, na qual  90% destes receberão reajuste salarial acima de 12%.

“A negociação avançou, mas a Prefeitura de Jundiaí ainda não apresentou uma proposta interessante”, admite Aparecido Luciani, presidente do Sindserjun. De acordo com o sindicalista, a entidade luta para que os 8 mil servidores da cidade recebam reajuste salarial de 10%, aumento do vale-alimentação de R$ 365 para R$ 450 e implantação do vale-refeição de R$ 15 por dia.

Mas, até o momento, a prefeitura ofereceu reajuste de 8%. “O índice envolve 5,81% de correção da inflação e mais 2,19% de aumento real na folha de pagamento. Além disso, o vale-alimentação passará de R$ 365 para R$ 420”, afirmou o prefeito Pedro Bigardi (PCdoB). O prefeito também deu um ultimato, dizendo que esta proposta é a última oferecida pelo poder público.

Porém, Luciani diz que a decisão pela aceitação ou não será definida somente na próxima segunda-feira (19). “Discutiremos a proposta na assembleia dos servidores, às 18h. Antes, no sábado (17), vamos promover um grande ato da categoria em frente à Casa da Cultura, no Centro de Jundiaí, e aguardamos mais de mil companheiros.” Os 2,2 mil servidores de Várzea Paulista também cogitam uma greve geral. Nicodemos Gomes, secretário-geral do sindicato, revelou que a entidade briga por 6% de reajuste salarial, adicional de 6.28% referente à inflação acumulada, vale-alimentação de R$ 300 e vale-transporte em espécie.
Por nota, a prefeitura da cidade afirmou que apresentou, no início da semana, uma proposta de vale-alimentação com valores que variavam entre R$ 130 e R$ 230, o que garantiria uma reposição salarial entre 6,28% e 13%. No mesmo texto, o poder público ressalta que os servidores com salários menores receberiam o porcentual maior, o que representaria um ganho no poder aquisitivo e, consequentemente, um ato de justiça social. A prefeitura também salientou que o valor do benefício garantiria um aumento real no poder de compra acima do que receberiam caso o reajuste fosse direto no salário. Uma nova proposta, não divulgada pela prefeitura, será discutida às 8h de hoje com o sindicato.

Itupeva – Ao contrário de Jundiaí e Várzea, o governo de Itupeva apresentou, na manhã desta quinta-feira (15), uma proposta que satisfez o sindicato dos servidores da cidade. Dos 1,5 mil funcionários municipais, 90% receberão reajuste salarial acima de 12%. Destes, 32% ganharão aumento de 18,85%, pois ao salário será somada a revisão do benefício da Função Gratificada (FG). “O reajuste é uma correção histórica que marca a valorização da categoria que colabora para o crescimento de Itupeva”, afirmou o prefeito da cidade, Ricardo Bocalon (PT).

Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/servidores-das-duas-cidades-ameacam-paralisacao/
Desenvolvido por CIJUN