Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Sessão tem alerta a massacres e críticas ao transporte público

ISABELA CRISTÓFARO | 20/03/2019 | 05:00

A abertura da sessão da Câmara de Jundiaí desta terça-feira (19) contou com a fala do presidente da casa Faouaz Taha (PSDB) sobre as últimas tragédias do cenário nacional e internacional, citando o massacre em Suzano, o desabamento de uma escola na Nigéria, bem como o ataque na mesquita na Nova Zelândia.
“Somos todos seres humanos e não cabe agora encontrar um único culpado que justifique essas tragédias”, disse.
Na Tribuna Livre, um dos assuntos discutidos foi transporte público. Dos três participantes, dois jundiaienses falaram sobre o assunto com focos diferentes. O primeiro pediu a implantação de uma CEI dos ônibus. É a terceira vez que o assunto foi abordado nas sessões deste mês.
Segundo ele, esse é um tema negligenciado pelos vereadores. Para ele, os serviços de transporte na cidade são de péssima qualidade, citando o cotidiano dos estudantes, trabalhadores, idosos e jovens que utilizam nos ônibus para se locomover.
Ao concluir a fala, afirmou que há falta de interesse do Legislativo em aprofundar as investigações sobre o caso.
O diretor financeiro do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários, Paulo Ataíde dos Santos, apelou para os vereadores voltarem os olhares aos motoristas de ônibus. Uma das questões abordadas por ele foi o fato de não haver cobradores nos ônibus, citando duas linhas em específico, fazendo com que os passageiros se concentrem na parte da frente dos ônibus.
Outro ponto abordado por ele também diz respeito ao assédio moral que classe sofre diariamente, com a culpa, muitas vezes, atribuída ao motorista por atrasos, queimas de viagens e as más condições em que o transporte se encontra.
Em entrevista para o Jornal de Jundiaí, Paulo expõe os anseios da classe. “Vim falar sobre o sofrimento dos motoristas. Vamos esperar uma semana para ver se algo sobre isso pode ser feito”, diz Paulo. “Um dos maiores problemas é a falta de cobrador nos ônibus e quem acaba sofrendo mais é a população”, completa.
Outro assunto discutido em sessão foi a doação de medula óssea. Mara Gisele Pereira subiu à tribuna para divulgar a quinta campanha que será realizada no próximo dia 30 de março, na Escola Estadual Bispo Dom Gabriel Paulino Bueno Couto, das 9h às 13h.
Segundo ela, a oportunidade de falar na Câmara de Jundiaí se dá pela necessidade de doadores. “Muitas pessoas precisam dessa doação”, afirma a corretora de imóveis que além de trabalhar nessa campanha faz parte do Projeto Fios Encantados, em Jundiaí.

T_camara


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/sessao-tem-alerta-a-massacres-e-criticas-ao-transporte-publico/
Desenvolvido por CIJUN