Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Setor de alimentos avalanca vagas de emprego

SIMONE DE OLIVEIRA | 25/01/2019 | 05:05

O município de Jundiaí tem sido destaque na mídia, inclusive nacional, quando o assunto é geração de vagas de emprego. O setor de serviços e comércios é visto como o que mais ajuda a dar positividade aos números e com eles os bares, restaurantes e lugares que vendem comida pronta.

Uma boa opção para que busca uma colocação no mercado de trabalho. De acordo com dados atualizados da Unidade de Gestão de Governo e Finanças, consta no Cadastro Fiscal Mobiliário um total de 367 restaurantes em Jundiaí. Há diversos CNAEs (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) fiscais com códigos específicos da área de alimentação.

Para se ter uma ideia, foram abertos 309 estabelecimentos no setor alimentício em Jundiaí no ano passado, sendo 29 restaurantes, 34 pontos ligados ao fornecimento de comida preparada e 247 pontos de comércio varejista de alimentos em geral.

O coordenador do núcleo de Gastronomia e Hotelaria de Jundiaí e Região, Laudo Enrique Motta, diz que a entidade fará um levantamento junto aos associados para avaliar as contratações no setor. Mas adianta que as mesmas giram em duas vertentes: aqueles que preferem o trabalhador sem experiência para poder dar o treinamento, e outros que querem experiência e vivência para determinadas funções.

Procurado, o Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Motéis, Restaurantes, Bares, Lanchonetes, Fast-Food de Jundiaí e Região não retornou até o fechamento desta edição para falar sobre os números ou aumento de sindicalizados no setor.

Dados do Sebrae Jundiaí mostram que entre 2015 e 2018, o número de MEIs (Microempreendedor individual) em atividades relacionadas a alimentação fora do lar em Jundiaí, passou de 881 (2015) para 1.206 (2018). Assim, houve um aumento de 325 MEIs (+36,9%) em atividades de alimentação fora do lar, no período considerado. O número de MEIs nessas atividades cresceu a uma taxa média de 11,0% ano, no período da análise.

No município de Jundiaí, os principais segmentos, em número de MEIs, nas atividades de alimentação foram (2018): serviços ambulantes de alimentação (23,2% dos MEIs), lanchonetes e similares (22,8%) e fornecimento de alimentação para consumo domiciliar (22,2%).

BOA OPÇÃO
Tanto quem emprega quanto quem trabalha no setor vê grandes possibilidades de crescimento. Aos 22 anos, Gustavo Gattamorta, chef de cozinha de um bar sofisticado em um dos pontos mais tradicionais de Jundiaí, a rua do Retiro, conta que ficou responsável pela comida e elaborou um cardápio especial para o estabelecimento. Tudo graças à escolha em se formar como técnico em cozinha.

O cardápio favorece a gastronomia brasileira, como bolinho de feijoada, dadinhos de tapioca e até coxinha de galinhada. “Me formei há um ano e desde então tenho conseguido emprego na área. É uma profissão que tem vagas em Jundiaí por conta dos restaurantes, mas também graças ao setor de hotelaria. Ótimo, porque teremos emprego”, declara.

Dono de um bar e restaurante na Vila Hortolândia, Genildo Barbosa Oliveira, 42 anos, mais conhecido como Gê, conta que tem encontrado facilidade quando precisa de mão de obra. Há 11 anos no ramo, ele ampliou o serviço e além de bar, atua agora como restaurante, servindo marmitex e almoço no local, e a noite, pizzas e esfiha. “É um ramo interessante porque ninguém fica sem comer alguma coisa. Meus funcionários são pessoas com experiência e isto ajuda muito na qualidade.”

E foi justamente acreditando neste setor, que o comerciante investiu na fachada, em layout, em uniformes e até na compra de equipamentos. “Tenho minha página no Facebook porque acredito que as mídias sociais ajudam a gente ser mais conhecido’, acredita.

Rui Carlos

Rui Carlos


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/setor-de-alimentos-avalancam-vagas-de-emprego/
Desenvolvido por CIJUN