Jundiaí

Testes rápidos e laboratório local darão fôlego ao combate do vírus em Jundiaí


Com 39 casos confirmados de coronavírus e outros 199 suspeitos em Jundiaí, esta semana pode ser decisiva para o controle do vírus na cidade. Isso porque as novas medidas preventivas, como testes rápidos e exames locais, logo começarão a ser colocados em prática. A utilização do laboratório da Associação Fundo de Incentivo à Pesquisa (AFIP) de Jundiaí, prestador de serviços do Hospital São Vicente de Paulo (HSV), agora poderá realizar o diagnóstico dos pacientes. No local já estão sendo realizados os chamados exames “swab”, que consistem na coleta de amostras da orofaringe e nasofaringe dos considerados casos suspeitos que apresentarem síndrome respiratória aguda grave (SRAG), conforme especificado pela Portaria SS-32, do Governo do Estado. Devido a alta demanda, até então eram necessários pelo menos 20 dias para o diagnóstico ser liberado pelo Instituto Adolfo Lutz. Com o laboratório AFIP oficialmente credenciado pelo Ministério da Saúde do Estado de São Paulo, o resultado poderá ser obtido dentro de até 48 horas. TESTES Os 10 mil kits de testagem comprados recentemente pelo município tem previsão para chegar nesta quarta-feira (15), o que tornará o diagnóstico muito mais eficiente. É o que explica o gestor de saúde, Thiago Texera. “A medida irá acelerar o diagnóstico e o tratamento. Caso não seja covid-19 haverá tratamentos específicos já comprovados para as demais doenças respiratórias. O diagnóstico da doença também possibilitará o manejo eficiente, seguindo os protocolos do Ministério da Saúde para o uso das medicações indicadas para o tratamento à covid-19, inclusive a hidroxicloroquina”, pontua. HIDROXICLOROQUINA O Ministério da Saúde liberou a prescrição de hidroxicloroquina para o tratamento de coronavírus. Ainda que haja mais de 80 estudos sobre o uso do medicamento no tratamento contra o covid-19, trata-se apenas de uma possibilidade em um contexto de tantas incertezas. Em Jundiaí, o medicamento tem sido utilizado no Hospital São Vicente há aproximadamente dez dias. Contudo, o infectologista do HSV, Marco Aurélio Cunha de Freitas, explica que há muito o que se observar para se ter uma resposta. “Por enquanto não estamos realizando um estudo clínico randomizado controlado que possa comprovar resultados expressivos dos pacientes que estão sendo medicados com hidroxicloroquina", diz. ISOLAMENTO Testes rápidos, laboratórios locais e possíveis medicamentos para o tratamento podem auxiliar no combate da pandemia, mas não serão suficientes sem uma medida estratégica e indispensável: o respeito ao isolamento social. De acordo com dados disponibilizados pelo Governo do Estado, Jundiaí registrava na última quarta-feira (8) apenas 48% de isolamento a partir de dados de movimentação de celulares. No sábado (11), o número subiu para 53%, ainda muito abaixo do 70% preconizado para a contenção do avanço da doença. “Por mais investimentos e avanços que a administração faça no sentido de ampliar o número de leitos e diagnosticar rapidamente a covid-19, de nada adiantará se a população não reduzir a movimentação e manter o isolamento. O ápice de contágio também será determinado pelo isolamento mantido pela população”, ressalta Texera.   [caption id="attachment_87541" align="aligncenter" width="800"] HOSPITAL REGIONAL DE JUNDIAI[/caption]

Notícias relevantes: