Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Tradições juninas sobrevivem à pandemia

Kátia Appolinário | 05/06/2020 | 16:27

Quem achou que este ano marcado pelo isolamento social não haveria quentão, pé de moleque e bandeirinhas está muito enganado. Na tentativa de manter as tradições juninas, jundiaienses têm optado por realizar as comemorações com ajuda da tecnologia. Vale vídeo-chamada e até grupos formados nas redes sociais para compartilhar com amigos e familiares as músicas e pratos típicos caipiras.

A Associação Terapêutica de Estimulação Auditiva e Linguagem (Ateal) também aderiu à festa on-line. Neste ano, o tradicional bazar junino será realizado via WhatsApp. É o que conta a organizadora do evento, Márcia Andreia Lino de Oliveira, de 48 anos. “Reunimos em média 50 empreendedoras, cada uma vendendo um tipo de produto e montamos um grupo.

O objetivo é que as pessoas façam seus pedidos juninos pelo próprio celular e nós entregamos”, explica Márcia valendo-se de que 10% da renda obtida será revertida para a instituição. Os pedidos podem ser realizados até o dia 13 de junho através do link: https://bit.ly/373DSgk

O voluntário Bruno Barbosa, de 34 anos, ajudou o Grupo Semente, entidade dedicada a adoção de crianças, a organizar uma festa junina entre as famílias de integrantes do projeto e afirma que o evento foi um sucesso. “Foi o nosso primeiro arraial on-line. Fizemos os pratos típicos, decoramos nossas casas e ainda nos vestimos a caráter para entrar no clima.”

FESTA EM FAMÍLIA

Além das comemorações digitais, há também quem tenha optado por unir as festas de aniversário às tradições caipiras. Esse é o caso da professora de gastronomia do Senac, Juliana Machado, de 42 anos, que neste ano irá fazer uma pequena celebração para o aniversário do pai. “Será em casa, só entre nós quatro, sem aglomerações e claro, com muita comida boa. Não pode faltar um bom cuscus caipira, milho cozido, pipoca e doces como bolo de milho e paçoquinha”, alega.

Ela ressalta ainda que é possível fazer uma festa aconchegante e sem sair de casa. “Há como inovar na decoração com coisas simples que temos em casa. Folhagens podem ajudar na decoração da mesa principal. É importante abusar das cores e porque não colocar as crianças para ajudarem nisso? Pode deixar os preparativos ainda mais divertidos”, aconselha.

Renata Capitani, de 47 anos, é proprietária de uma loja de fantasias e artigos de festas e diz que a procura por itens decorativos já começou. “Bandeiras, chapéus e até roupas a caráter são algumas das demandas, mas a procura está bem menor em comparação ao ano passado. Eu diria que, em média, houve queda de 50%, uma vez que os grandes eventos juninos não acontecerão, apenas os caseiros”, reitera.

Para entrar no clima, confira essa receita de bolo de milho especial da professora de gastronomia Juliana:

Ingredientes
01 lata de milho verde com água
03 ovos
02 xícaras de chá de açúcar
09 colheres de sopa de fubá ou milharina
01 colher de sopa de fermento em pó
1/2 xícara de óleo

Modo de fazer
1. Bater no liquidificador o milho com a água, os ovos, o óleo até triturar bem o milho.
2. Acrescente o açúcar e bata mais um pouco.
3. Adicione as colheradas de fubá uma a uma e bata até virar uma mistura.
4. Por último, bata o fermento em pó rapidamente para misturar.
5. Unte uma forma, despeje a mistura e leve para assar em forno pré aquecido a 180ºC por aproximadamente 45 minutos. Espere dourar e, para não errar, faça o teste do palito. Se ele sair sequinho, o bolo já estará pronto.


Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/tradicao-sobrevive-a-pandemia/
Desenvolvido por CIJUN