Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Treino puxado não precisa ser interrompido com a gestação

BÁRBARA NÓBREGA MANGIERI | 25/11/2018 | 05:00

A administradora Vivian Peres é a prova viva de que dá para ser atleta grávida – pelo menos até o sexto mês de gestação. A jovem de 30 anos já fazia crossfit há 2 anos e não parou de treinar quando engravidou de Leonardo Peres das Neves, hoje com 9 meses.

A decisão foi autorizada por uma médica obstetra e pelo coach Alexandre Koiti, do Crossfit Bahamut, que adaptou o treino de Vivian. “Eu exigi atestado e adaptamos o treino para a frequência cardíaca máxima permitida pela médica, que foi acompanhado por um monitor cardíaco que ela usou durante a prática”, conta. Ele explica que os batimentos são o fator mais importante para a grávida que pratica exercícios. “Se ultrapassar o limite, o coração do feto pode ficar acelerado e atrapalhar o desenvolvimento do coração do bebê”, afirma.

Além de monitorar o coração, Vivian passou a evitar exercícios que sobrecarregam a lombar e conta que não precisou mudar a dieta. “Mudei o que comia porque ficava enjoada, mas não recebi nenhuma orientação específica”, diz.

Quem vê Vivian de barrigão fazendo o “Rope Climb”, exercício com a corda, não acredita que ela tinha 24 semanas de gestação no momento (veja vídeo no site www.jj.com.br). Ela diz que só parou com a prática aos seis meses porque estava emagrecendo demais. “Depois eu tentei yoga no sétimo mês, mas não me adaptei e parei de vez”, diz.

Koiti garante que a mulher que já está acostumada com exercícios mais pesados consegue manter a prática até o oitavo mês de gestação, desde que acompanhada e com autorização médica. “Enquanto a barriga não atrapalhar e os limites do corpo forem respeitados, dá para seguir”, conta.

Às grávidas que eram sedentárias antes da gestação também recomenda-se a prática de atividade física, só que mais leve. “Exercícios de baixa intensidade como caminhada, natação, alongamento e pilates são as mais indicadas para gestantes, e podem ser praticadas até mesmo por mulheres sedentárias”, detalha Bruno Mazzuco, educador da Unidade de Gestão de Esporte e Lazer.

“O exercício físico proporciona benefícios físicos e emocionais durante a gravidez, além de prevenir diabetes, pré-eclâmpsia e ganho de peso”, explica a ginecologista e obstetra, assessoria técnica da Saúde da Mulher, Erika Pimenta de Pádua Mayer.


Visualizar esta foto no Instagram.

Um ótimo dia para todos! Em especial para a nossa aluna gravidíssima Vivian Peres mandando super bem no Rope Climb e mostrando que na Bahamut o CrossFit é para todos! Be Your Best! #bahamut #ropeclimb #crossfit #vemtreinar #agendesuaaula

Uma publicação compartilhada por CF B A H A M U T 👊 (@crossfitbahamut) em

 

 

 

 


Leia mais sobre | | |
Link original: https://www.jj.com.br/jundiai/treino-puxado-nao-precisa-ser-interrompido-com-a-gestacao/
Desenvolvido por CIJUN