Jundiaí

Veículos por aplicativo têm serviço para quem perde algo


OBJETOS ESQUECIDOS NO UBER FELIPE FERREIRA FLAUZINE
Crédito: Reprodução/Internet
Cada vez mais as pessoas optam pelos veículos de transporte por aplicativo. E por uma série de motivos: para fugir do estresse do trânsito nas ruas, da luta para conseguir uma vaga de estacionamento e até por questões econômicas, já que pagar o estacionamento algumas vezes acaba saindo caro. No entanto, algumas questões ainda levantam dúvidas. Uma delas é: como fazer quando se esquece algo dentro do veículo. Não existe um número exato de quantos casos ocorrem. Até porque em muitos, nem é reportado para o aplicativo, já que a solução ocorre entre o próprio motorista e o usuário. Mas como fazer para recuperar o pertence quando o motorista não é tão solicito? O presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativos de Jundiaí e Região (Amjur) e motorista de aplicativo há alguns anos, Djan Schettino, explica que a maneira mais rápida e prática para resolver o problema é fazer o registro da perda no próprio aplicativo. “O aplicativo sempre é a menor distância entro o usuário e o motorista. Muitas pessoas tentam achar amigos em comum com o motorista por redes sociais, mas, na maioria das vezes, não funciona devido à dinâmica da atividade. O motorista tem um movimento grande, gente entrando e saindo do carro em poucos minutos, isso dificulta este contato direto. É indicado que contate primeiramente o aplicativo, pois este consegue localizar o motorista em menor tempo”, explica o presidente. De acordo com Djan, a maioria das vezes que o usuário esquece seu pertence no carro e não consegue recupera-lo é devido à índole do motorista, que tenta se apossar de algo que não é dele, e acaba inclusive fugindo do contato do próprio aplicativo. “Infelizmente existe um porcentual de insucesso de recuperação, e acredito que seja devido à índole do motorista. Por isso digo que a melhor maneira é reportar no aplicativo, para que eles tenham ciência e ajudem a pessoa a encontrar o motorista e o seu pertence”, diz. O jovem bancário Felipe Flausino, de 27 anos, teve sorte. Ele esqueceu o celular quando estava em uma viagem de carro por aplicativo, mas conseguiu recuperá-lo. “Eu estava indo para um evento. Meu celular caiu entre o banco e a porta do carro. Na hora, nem eu percebi e nem o motorista. Eu fui para o evento e só me dei conta que estava sem meu celular no dia seguinte. Liguei para o motorista, mas ele era de uma cidade vizinha. Foi muito simpático, me passou seu endereço e aguardou em sua casa até que eu fosse buscar”, recorda-se Felipe. Trabalhando como motorista de aplicativo há mais de um ano, Alex Ferreira conta que já achou vários itens de valor em seu carro, desde celular até notebook, mas sempre devolveu aos donos. “As pessoas muitas vezes estão com presa, entram correndo, saem correndo, e acabam esquecendo mesmo. Eu já achei até roupa íntima no meu carro”, disse em tom de brincadeira o motorista. Alex explica que a devolução do objeto varia muito de acordo com o motorista. Ele já devolveu os pertences para porteiro, amigos e até para familiares do dono, depois de combinar como entregar o objeto. A reportagem do JJ tentou contato com uma das empresas que oferece o serviço por aplicativo, que relatou que o procedimento deve ser feito pela internet, através do site. “Através da página na internet as pessoas têm acesso ao passo a passo do que fazer caso esqueça algo em uma viagem pelo aplicativo. Tem também uma parte específica caso o item esquecido seja o celular e algumas outras explicações sobre o assunto”, concluiu.  

Notícias relevantes: