Opinião

ESPAÇO DO CIDADÃO


O EGRESSO DO ENSINO SUPERIOR É RESPEITADO COMO SER SOCIAL?

Acompanhar o egresso é um dever institucional e constitucional. O legislador pátrio enfatizou no artigo 205 da Constituição da República Federativa do Brasil, que a educação, enquanto direito de todos e dever do Estado e da Família, deve buscar o pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. Assim, a instituição que compreende integralmente a sua missão, acompanha o egresso, ainda que ele já tenha conquistado um espaço no mercado de trabalho, na sua área de formação.

A instituição que tem compromisso com o mandamento constitucional, seguirá acompanhando o egresso, a fim de que ele alcance o pleno desenvolvimento enquanto pessoa, e exerça a cidadania de forma responsável. Portanto, o egresso não é, sob hipótese nenhuma, apenas um dado relativo. Acompanhá-lo e seguir contribuindo na sua vida é um dado constitutivo da identidade e da missão da instituição. Por essa razão, essa relação deve ser cada vez mais sólida.

O egresso de uma instituição de ensino superior é um patrimônio social e de valor intangível, que não pode ser medido em números, que aumentam o valor da instituição em bolsa de valores, pois com seus projetos pessoais que muitas vezes foram cunhados durante seu tempo de estudante alteraram seu status quo e provocam mudanças de micromundo.

Quando reconhecemos que o egresso adentrou num concurso público, assumiu a liderança religiosa, optou em ajudar de forma voluntária na escola ou outro projeto, temos certeza de que os valores e missão daquela instituição de ensino superior continuam ecoando de forma eterna, pois mesmo aqueles que não adentraram no ensino superior estão sendo provocados por novas atitudes, valores e suas características socioemocionais estão sendo alteradas.

O egresso é patrimônio social, disseminador de boas práticas e deve fazer parte das ações educacionais das instituições de ensino, como ser social agente de transformação, que teve coragem para seguir viagem apesar dos ventos contrários.

Não é exagero afirmar que os egressos são a maior riqueza que uma instituição de ensino pode ter. Se bem formados, tornam-se profissionais melhores, criam carreiras mais bem-sucedidas, empreendem inovações de valores para as organizações e para a sociedade, pois eles representam tudo que produzimos e estamos construindo em processos contínuos, na produção e melhoria dos conteúdos de ensino e pesquisa. Por meio de ações educacionais, temos que estar comprometidos com o mundo do trabalho e a sua formação enquanto cidadão.

Dinamara Machado, Adriano Sousa Lima e Sidney do Carmo Lara


Notícias relevantes: