Opinião

Auto-apreço é apreciar a si mesmo acima de tudo

Quanto mais apreciarmos os outros, maior nosso autorrespeito e confiança


divulgação
MONJA KELSANG CHIME ARTICULISTA COLUNISTA
Crédito: divulgação

Imagine se todos nos tratassem do jeito que nosso egoísmo acha que merecemos, isso só reforçaria nossas aflições mentais, se todos os nossos desejos descontrolados fossem satisfeitos, seríamos como uma criança mimada que pensa que o mundo gira ao seu redor e de quem ninguém gosta.

Na verdade, todos nós, mais egoístas ou menos egoístas, temos um ponto cego, algo que não percebemos que temos, por isso precisamos de alguém que nos mostre. Uma pessoa assim pode nos ajudar e muito na melhoria de como vemos as coisas, quando olhamos somente para os defeitos dos outros e nossas boas qualidades, isso realmente não nos ajuda encontrar onde podemos melhorar.

Temos sempre algo que pode ser melhor, sempre há espaço para aprender e melhorar.

Devido ao forte apego às nossas próprias opiniões, quando alguém se opõe a elas, imediatamente experenciamos o problema interior das sensações desagradáveis, isso faz com que fiquemos com raiva, o que nos faz discutir e entrar em conflito com os outros, e isso por sua vez faz surgir mais problemas, como disputas ou guerras.

A maioria dos problemas políticos experenciados no mundo inteiro é causado por pessoas com forte apego às suas próprias opiniões. No passado, devido ao nosso apego pelas nossas opiniões, até por opiniões religiosas, prejudicamos outros seres vivos.

Como resultados dessas ações, experenciamos agora muitos sofrimentos e problemas diferentes em nossa vida. Como interromper o desenvolvimento do auto-apreço, já que todo o sofrimento do mundo surge desta mente egoísta?

Também podemos perguntar: "Se eu não tivesse autoapreço, isso significaria que eu não gosto de mim?" Com toda certeza, preciso me aceitar e amar a mim mesmo, porque, se eu não amar a mim mesmo, como poderei amar os outros? Esse é um ponto importante, se somos praticantes do treino da mente há pontos que devemos levar em conta, por exemplo: "Não permita que sua prática do treino da mente cause um comportamento inadequado". Esse compromisso aconselha a esses praticantes para serem felizes com eles mesmos. Se formos excessivamente autocríticos, acabaremos por nos voltar contra nós mesmos e ficaremos desencorajados, isso fará com que seja muito difícil direcionar nossa mente para apreciar os outros. Embora seja necessário ter consciência das nossas falhas, não devemos nos odiar por conta delas.

Nós não somos as nossas falhas, podemos verificar nossas falhas e decidir nos livrar delas, não somos, em realidade, melhores do que ninguém e ainda não estamos livres, precisamos sim cuidar de nós mesmos mas isso pode ser feito sem auto-apreço ou egoísmo.

Assim como um motorista de ambulância pode cuidar de seu veículo sem considerá-lo como sua propriedade, também podemos cuidar do nosso corpo e de nossas posses para o benefício dos outros. Não é por autorrespeito que queremos o melhor sempre para nós mesmos, nem é por autorrespeito que enganamos ou exploramos os outros ou deixamos de cumprir com nossas responsabilidades que temos com eles. Se examinarmos honestamente, veremos que é o nosso auto-apreço que nos faz agir de diversas maneiras que roubam nosso autorrespeito e destróem nossa confiança.

Por outro lado, quanto mais apreciarmos os outros e agirmos para beneficiá-los, maior nosso autorrespeito e confiança irão se tornar.

GEN KELSANG CHIME é monja budista


Notícias relevantes: