Opinião

Um trágico destino

Soube entender que a ganância humana é o que destroça a vida em todas as formas


divulgação
COLUNISTAS GUARACI ALVARENGA
Crédito: divulgação

Na manhã de terça-feira, 17, num dia de sol, foi embora o jundiaiense Hugo Mendes Pereira. E, com ele, sua esposa Stela Silva de Souza e seu pequeno filho de poucos meses de idade. Ontem mesmo, alguém me perguntou qual a memória mais nítida que tinha dele. Embora não o conhecesse pessoalmente, passei a admirá-lo pelo seu espírito de aventura e amante da natureza. Há dois anos, foi personagem de uma reportagem do Domingo Espetacular.

Vivia numa Kombi adaptada ao lado de uma cadela, a Brisa. Viajaram por cinco continentes e todos os estados brasileiros. Aventuras pelo mundo sempre ao lado da fiel escudeira. Abriu as portas de um mundo muito, muito mais amplo que um cotidiano de escritório. Sabia enxergar com nitidez as menores coisas da vida e do mundo e, ao mesmo tempo, enxergar toda a sua amplidão.

Foi em Natal (RN), que conheceu a psicóloga Stela. A forte ligação com a natureza os uniu. Construíram uma pousada numa das praias mais badaladas do local, a praia da Pipa. O nome Morada da Brisa foi uma homenagem a sua fiel cadela escudeira. Foi não só um amante, como um defensor da natureza. Stela e Hugo, nas redes, tiveram momentos inesquecíveis, ao narrar minuciosamente como foi a gestação de seu filho. De parto natural, no meio da natureza e aos beijos do mar. "O sol raiou", escreveu Hugo. E foi com a imagem da luz solar que batizou seu filho com o nome de Sol.

Numa postagem recente, demonstrava toda a felicidade de ter sido convidado para administrar o maior hotel de Pipa, um hotel com mais de 130 apartamentos. Mas como enfrentar o maior desafio que o tempo e o destino colocam à frente de todos nós? Uma erosão da falésia provocada pela arrebentação mais intensa das ondas silenciou todo aquele pedaço de paraíso. Silenciou Hugo, esposa e filho. Um indignado pela permanente destruição do meio ambiente, com descalabros do progresso que destrói o planeta. Tinha as mãos pequenas, como as de uma criança. Com elas quis abraçar a natureza, com elas quis resgatar a memória coletiva para o bem, acariciar a esperança. Soube entender, e há muito tempo, que a ganância humana, que aniquila futuros e esperanças, é o que destroça a vida em todas as suas formas.

Fica uma eterna lembrança, entre nós, da família. Numa troca de declarações entre o casal, no instagram, Stela escreveu, abaixo de uma fotografia de Hugo e o filho Sol, num por do sol na praia: Retrato... Amo tudo isso, construímos juntos". A família de Hugo Mendes Pereira partiu e já deixa muita saudade. Meus pêsames a Paulo Sergio Pereira e em oração a saudosa Maria Cecilia Mendes Pereira e a todos os seus familiares.

GUARACI ALVARENGA é advogado


Notícias relevantes: