Opinião

Vende-se casa ou apê na Vila Madalena

Suas obras e propostas ficarão para sempre lembradas e marcadas


divulgação
EDUARDO PEREIRA ARQUITETO
Crédito: divulgação

Rua harmonia 77: suas entranhas estão expostas nas suas fachadas, enquanto seu interior é bem-acabado com superfícies limpas e claras, como se a obra estivesse às avessas. A tubulação que serve a todo o prédio - assim como as bombas e o sistema de tratamento e reutilização da água - estão aparentes nas paredes externas e as circundam como veias e artérias de um corpo.

Esse não é um anúncio de lançamento de venda com showroom, trata-se do conceito de fato de um dos muitos edifícios projetados pela arquiteta Carol Bueno.

Nascida em 1975, a jovem arquiteta fundou em 2000 o escritório Triptyque, imediatamente consegue um reconhecimento e identificação de sua clientela com a sua obra inusitada e, consequentemente, o sucesso espalhado. Bonita, vaidosa e com um gosto de se apresentar linda, mesmo com o capacete da obra, surpreendeu e continuou vigorosamente surpreendendo seus clientes e as pessoas comuns.

Projetos únicos com identidade própria que respeitam o lugar e surpreendem até os mais avisados. O conjunto de obras da Vila Madalena -onde o escritório colocou seus projetos - ao mesmo tempo em que ficou tão paulistano, era às vezes interiorano ou provinciano.

Lá onde pulsa a arte, o gosto pelo diferente e especial não tem nada pequeno, desde o beco do Batman - inteiro grafitado, um dos lugares de identidade paulistana - até as inundações no vale do rio que por ali passa, que levam carros e pegam os desavisados de surpresa.

Tudo isso é São Paulo e a arquiteta aproveita todo o ambiente e cultura tornando o lugar mais belo e autêntico, como um cartão postal da contemporaneidade da cidade.

Carolina Bueno faleceu nesta semana depois de lutar por um ano contra um câncer no cérebro. Deixa a filha de 8 anos, o escritório Triptyque Vivo e explodindo suas ideias originais que manterá para sempre como uma escola de viver em um lugar que não precisa ser utópico, precisa ser vivo... e assim será. Deixa todos nós tristes, mas orgulhosos pelo seu admirável trabalho.

Suas obras e propostas ficarão para sempre lembradas, marcando estas duas primeiras décadas do século, gravando no cenário paulistano e em outros lugares do mundo.

Eduardo Pereira
é arquiteto e urbanista


Notícias relevantes: