Opinião

Batidas bineurais

Há cinco tipos de ondas cerebrais que trabalham como notas musicais


divulgação
COLUNISTA LICIANA ROSSI
Crédito: divulgação

Há algum tempo eu tenho utilizado meditações guiadas e alguns tipos de sons relaxantes para induzir o sono. Com meus filhos, uso mantras, pois percebi que as crianças adormecem mais rápido e têm uma qualidade de sono melhor. Comecei a testar diferentes tipos de sons e batidas, percebendo que algo realmente acontece, um relaxamento profundo que melhora muito a noite de sono e nos deixa preparados para encarar o dia seguinte. A música pode estimular do desenvolvimento do cérebro à saúde emocional.

Resolvi pesquisar para entender se isso é mesmo verdade. A neurociência explica que realmente ocorrem mudanças funcionais das atividades cerebrais com a utilização de sons relaxantes, que influenciam nossa saúde. Um dos conceitos básicos da neurociência são os estudos por meio dos eletroencefalogramas, partindo do princípio que nossas ondas cerebrais são capazes de produzir impulsos eletroquímicos a partir da comunicação entre os neurônios.

Alguns sons foram criados exatamente para relaxar nosso cérebro, como as batidas bineurais. E eu as testei não só para dormir, como para estudar e treinar meus alunos. E aprovei. Esta onda chamada bineural é gerada quando escutamos sons com frequências muito próximas, porém diferentes ou inferiores a 1000Hz, reproduzindo estados cerebrais que produzimos diariamente em nosso cérebro. Essas ondas conseguem relaxar ou mesmo nos alegrar, melhorar a concentração, ou mesmo serem utilizadas para estudar, estimulando a memória.

Há cinco tipos de ondas cerebrais que trabalham como notas musicais. Pensamentos, emoções e sensações podem alcançar um equilíbrio perfeito, relaxando nossa mente e nos tornando mais receptivos.

As ondas theta podem auxiliar no combate ao estresse, ansiedade, hiperatividade, pensamentos negativos. Ondas beta melhoram a atenção, concentração e auxiliam no aprendizado. Há também ondas alfa, boas para meditar. As delta, perfeitas para um sono profundo. Menos conhecidas são as ondas gama.

Estas batidas são estudadas há muito tempo. Há registros de 1839 de um cientista alemão, Wihelm Dove, depois em 1973 um biofísico americano, Gerald Oster, que comprovou que as batidas bineurais melhoravam o funcionamento do cérebro.

Estudos para cura de enxaquecas, dores crônicas, ansiedade e outros tipos de doenças e vícios mostraram muitos resultados positivos. Apesar de não haver muitos estudos comprovando isso tudo, eles associaram a melhora de todos estes problemas citados às batidas bineurais.

Alguns outros benefícios destas ondas: liberação de endorfina e dopamina, controle emocional, equilíbrio energético, positividade, clareza, paz e harmonia mental, bem-estar, aumento da imunidade, foco, dentre outras.

Estas batidas bineurais são facilmente encontradas no Youtube e Spotify. Experimentem. Só não as utilizem em casos de epilepsia e doenças mentais sem antes falar com o médico. Também não é indicado ouvir dirigindo ou operando máquinas, para que o relaxamento não cause acidentes. Muita saúde a todos.

LICIANA ROSSI é educadora física; pós-graduada em treinamento físico pela Unicamp e ginástica corretiva pela FMU-SP; exercícios corretivos pela Academia Nacional de Medicina Esportiva - NASM/USA; CHEK Practitioner nível 2 e Holistic Life Style Coach/CHEK


Notícias relevantes: