Opinião

Mente e o caminho para a saúde integral

A saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social


ALEXANDRE MARTINS
ALEXANDRE MARTIN ARTICULISTA
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

O criador da Osteopatia, o americano Andrew T. Still (1828-1917) disse que todo médico deveria ser treinado a procurar a saúde, "pois a doença qualquer tolo pode facilmente encontrar". Essas são até hoje palavras incisivas e um pouco duras, bem ao estilo da pessoa que ele foi em seu tempo, mas revelam uma realidade que perdura até hoje: o que é a saúde, afinal?

Na definição mais aceita, a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, não sendo apenas a ausência de doenças. Adotada hoje pela organização mundial de saúde, essa definição está alinhada com a crítica feita pelo pai da osteopatia há mais de 100 anos e nos revela que a saúde é algo integral e que deve ser construída.

A saúde tem existência própria e não se trata apenas de um estado de ausência de outro elemento, a doença.

Muito pode ser dito a respeito dessa definição, mas gostaria de chamar a atenção para o trecho em que ela fala do aspecto mental engajado ao físico. O que é essa mente? Existem muitas definições, cada qual conveniente a área de estudo que faz uso desses conceitos, mas em todas vemos a presença inegável e ativa de algo que é invisível, intangível pelos cinco sentidos, mas facilmente percebido, pela manifestação dos diferentes graus de consciência de todos os seres vivos.

Mente é a consciência de estar vivo e que motiva o trabalho do corpo físico e interação positiva com o meio ambiente para que essa vida, ou força de vida, se amplie cada vez mais.

Para perfazer seus objetivos, nossa mente faz uso da memória e dos cinco sentidos, estruturados no cérebro e sistema nervoso e gera nossas emoções e criatividade, que são sentidas na própria mente e nos diferentes sistemas do corpo.

Todo ser que se desenvolve para gerar mais vida, seja ele de uma única célula ou um indivíduo gigantesco como uma baleia, tem algum grau essa consciência da vida e por isso, tem mente.

A Medicina Tradicional Chinesa já reconhecia a existência da mente e a chamava Shen, situando-a em toda a estrutura energética dos órgãos e meridianos. A partir deste ponto de vista, o corpo gera a mente e a mente coordena o corpo para que ele produza mais energia de vida, conhecido como Qi ou Chi. Corpo e mente são como duas estruturas contíguas, sem divisão, uma dependendo da outra para funcionar bem.

Muito desse conhecimento se perdeu, no entanto, diante do paradigma moderno onde nos fixamos excessivamente em tratar das doenças e esquecemos o importante trabalho de construir a saúde. Acabamos separando aspectos como espiritualidade, boas relações familiares, interações sociais produtivas e agregadoras como passíveis de afetar a mente, mas incapazes de influenciar quadros como colesterol elevado, pressão arterial alterada e diabetes.

Essa visão errônea segue e colocamos a esperança de controle dessas condições em simplesmente tomar remédios, esquecendo de corrigir um estilo de vida doentio, sem tratar mágoa, ansiedade e angústia, como se o estado da nossa mente não fosse sentido no corpo e esse último existisse independentemente.

Para que tenhamos uma saúde integral, completa, precisamos despertar para essa dimensão muitas vezes esquecida do nosso ser que é a dimensão energética, onde reside a mente. Hábitos como meditar e manter boas conversas com familiares e amigos são tão importantes para os ossos, imunidade, artérias e coração quanto exercícios e boa dieta.

Como todo o hábito ele será tão mais eficaz quanto for a sua consistência no nosso cotidiano. Por isso, aconselho que, entre atividades que fazemos diariamente, como escovar os dentes ou se arrumar, diante de um espelho, perguntemos à imagem que reflete diante de nós e representa, naquele instante, a nossa consciência do Eu, a singela pergunta: como vai a sua mente?

Na resposta encontrará a chave para essa dimensão por muitos deixada de lado e será conduzido à uma saúde mais integrada.

Agradeço a todos e fiquem bem!

ALEXANDRE MARTIN é médico formado pela Unicamp, osteopata e acupunturista


Notícias relevantes: