Opinião

Resgatando a ancestralidade

A natureza sempre esteve ao nosso lado, para ajudar o homem


divulgação
COLUNISTA LICIANA ROSSI
Crédito: divulgação

Sinto já há alguns anos um movimento que vem começando devagar, um respeito pelos ensinamentos antigos, onde até a ciência entrou para comprovar alguns benefícios de alguns ensinamentos em prol da nossa saúde. Técnicas ancestrais começaram a ter valor novamente e seguem em alta.

Tenho algumas amigas que fazem parte do Sagrado Feminino, que é uma prova de que estes resgates vieram forte dentre as mulheres, cultuando sua essência feminina, valorizando a natureza da mulher, seus ciclos, emoções, seu papel perante a sociedade, através dos ensinamentos da ancestralidade.

Não são só as mulheres que estão resgatando isso não, na Califórnia, há grupos de resgate das culturas masculinas, muitos deles ligados ao xamanismo, mas que buscam compreender e honrar essa cultura ancestral para lidar melhor com as situações da vida moderna.

Trazendo isso tudo para a saúde, este resgate, esta transformação e valorização dos antigos ensinamentos têm mexido com as pessoas. Aquele velho chazinho de ervas que era servido pela sua avó, de repente, volta com uma conotação antiviral superatual. Aquele banho de ofurô, utilizado pelos japoneses há décadas, é valorizado também como forma de matar vírus que não resiste a altas temperaturas. E assim seguimos resgatando ensinamentos milenares que mexem com minha imaginação de como há tanto tempo nossos ancestrais cuidavam de sua saúde com tanta sabedoria.

Ouvi o Dr. Carlos Carvalho, médico, por uma mídia social, a orientar seus pacientes a utilizarem mais os chás de ervas, sucos verdes e banhos quentes para amenizar a covid numa fase inicial ou como preventivo. E confesso me alegrar com o fato da medicina se render ao natural. Sem desprezar a necessidade dos remédios, que salvam vidas, mas enaltecendo esta cultura ancestral da utilização dos meios naturais.

Essa alquimia das ervas une o ontem e o hoje, resgatando os sabores, as tradições de nossas avós, bisavós etc. A natureza sempre esteve ao nosso lado, oferecendo-se para ajudar o homem com seu vasto repertório de ervas e seus usos dos mais diversificados: maceradas, chás, banhos, vaporizações, garrafadas, tinturas e tantas outras possibilidades naturais que possibilitam processos, que variam de acordo com a cultura da região, estão sendo resgatados e utilizados em meio ao caos que nos encontramos.

Tanto para os cuidados preventivos, como para um detox, as ervas entram na mira daqueles que buscam por algo mais natural. Os chás já foram a medicina do terreiro, da tribo, dos povos mais primitivos. Mas neste momento já temos o respaldo da ciência, que reafirma tais ensinamentos para os tratamentos e curas. Muitos naturólogos, naturopatas, nutricionistas, assim como médicos já indicam os chás, ervas, raízes e folhas para usos terapêuticos e ensinam seus pacientes a utilizá-los. Há suplementos de ervas 100% naturais nas lojas.

Fazer o uso das ervas para tratar a saúde e buscar a cura significa participar de um ciclo ecológico do qual fazemos parte, do mundo vivo e vital, que se formos mais fundo, poderemos refletir sobre os vínculos que nos unem à terra. Será que o coletivo adoeceu porque a terra encontra-se doente ou Planeta Terra encontra-se doente? É imprescindível pensar nisso para que comecemos a dar a real importância que a natureza merece e tudo aquilo que ela nos proporciona enquanto um ser vivo, assim como nós.

Voltando aos ensinamentos ancestrais, a terra sempre foi cultuada e valorizada, dando nosso sustento e cura. Ao utilizar o que vem da terra conseguimos uma dose extra de energia vital. Toda vez que preparo um chá de camomila com melissa, ou mesmo colho erva cidreira e hortelã para bater com frutas, sinto que faço um suco vivo, que contribui para minha saúde e vitalidade. Mas para isso peço sempre permissão para colher a planta e já aproveito e agradeço. Assim, vamos resgatando o respeito, o contato e a admiração a tudo que a natureza nos proporciona. Buscar a saúde de forma natural, considerando os ensinamentos ancestrais, só vem a acrescentar neste momento onde saúde é o nosso maior tesouro. Muita saúde a todos.

LICIANA ROSSI é educadora física formada pela ESEF Jundiaí; pós-graduada em treinamento físico pela Unicamp e ginástica corretiva pela FMU-SP; exercícios corretivos pela Academia Nacional de Medicina Esportiva - NASM/USA; CHEK Practitioner nível 2 Califórnia/USA; Holistic Life Style Coach/CHEK Institute/USA


Notícias relevantes: