Opinião

Você é o que come e o que sente!

Respirações profundas, expirações no dobro do tempo são bem-vindas


divulgação
COLUNISTA LICIANA ROSSI
Crédito: divulgação

Ansiedade, estresse, depressão, mesmo a preocupação, interferem diretamente no processo da digestão, que começa com a mastigação e vai até a eliminação das fezes. Como a digestão começa na boca, uma boa mastigação é essencial para a absorção dos nutrientes pelos intestinos.

Todo o tubo digestivo tem seu próprio sistema nervoso, o sistema nervos entérico, que pode agir de forma independente do cérebro e vai muito além do processamento dos alimentos. Você ouviu dizer que este é o nosso segundo cérebro? Ele tem mais neurônios que a nossa espinha dorsal e age independente do nosso sistema nervoso central, fora sua complexa comunidade microbiana que influencia diretamente no nosso bem-estar geral. Os intestinos, por exemplo, são diferentes de qualquer outro órgão em nosso corpo, podendo funcionar sozinho.

O nervo vago, principal nervo do sistema nervoso parassimpático, inerva todo o tubo digestivo, estimula a secreção de ácido e enzimas digestivas pelo estômago e coordena os movimentos intestinais, havendo uma íntima ligação entre o sistema nervoso e o digestivo. Há também hormônios e receptores no tubo digestivo, similares aos do sistema nervoso central, permitindo a relação direta com as emoções.

No estômago, o alimento é banhado por enzimas e ácido clorídrico, que irão quebrar as proteínas, matar as bactérias, germes, fungos e parasitas. Ter uma boa quantidade de enzimas digestivas é importante para que isso tudo não chegue aos intestinos. A maioria dos alimentos é absorvida lá nos intestinos, mas o álcool e o açúcar refinado são absorvidos no estômago, o que pode atrapalhar o trabalho do ácido e das enzimas digestivas. Lembre-se: você é o que você come.

O intestino delgado fica entre o estômago e o intestino grosso, tem de 6 a 7 metros de comprimento, com receptores especiais para absorver partículas alimentares, minerais e vitaminas, 90% da digestão ocorre aqui. Depois de absorvidas, estes nutrientes são entregues por "delivery" para as células do seu corpo via corrente sanguínea, e serão convertidos em energia, para reparo ou reconstrução celular. Tudo o que não foi utilizado nesta etapa segue para a seguinte.

O intestino grosso é um órgão de 1,5 metro, especializado em produção de certas vitaminas e reciclagem de água. Há trilhões de bactérias "do bem", que produzem as vitaminas B1, B2, B3, B5, B6, B12, A, K e o ácido lático, este auxiliará na movimentação intestinal para liberar tudo aquilo que passa por ele e manter o meio desfavorável para as bactérias do "mal". Esta parte é importante ressaltar, já que o consumo de alimentos processados e uma má dieta podem criar um meio alcalino propício para proliferação destas bactérias "do mal", o que pode comprometer sua saúde a te deixar cansado e sem energia, afetando seu bem-estar, assim como sua performance esportiva.

A principal função do intestino grosso é absorver a água que chegou até aqui. Se o seu corpo estiver desidratado, ele pegará o máximo possível de água das fezes, podendo também absorver fluidos tóxicos que seriam descartados, para aproveitar o máximo possível de água para seu organismo, tão necessitado, deixando as fazes muito duras e de difícil locomoção, dificultando os movimentos intestinais e resultando em constipação ou dificuldade de evacuação, o que pode resultar em problemas como hemorroidas. Falaremos disso no próximo artigo, mas lembre-se de manter-se hidratado.

Os exercícios físicos são muito bem-vindos para ajudar tanto o corpo e mente como as emoções. Os movimentos são importantes, pois auxiliam na saúde de todo o sistema digestivo, favorecendo os movimentos do intestino para uma melhor evacuação, principalmente quando realizamos os movimentos do tronco, como as rotações.

Uma das maneiras de ativar o nervo vago, que inerva todo o tubo digestivo, e estimula o sistema nervoso parassimpático é o treinamento respiratório. Respirações profundas, expirações no dobro do tempo das inspirações são muito bem-vindas. Massagens suaves no pescoço, risos, tomar sol, cantar e comer bem ajudam também. Quanto mais felizes estivermos, mais saúde teremos. Observe suas emoções. Muita saúde a todos.

LICIANA ROSSI é educadora física formada pela ESEF Jundiaí; pós-graduada em treinamento físico pela Unicamp e ginástica corretiva pela FMU-SP; exercícios corretivos pela Academia Nacional de Medicina Esportiva - NASM/USA; CHEK Practitioner nível 2 Califórnia/USA; Holistic Life Style Coach/CHEK Institute/USA


Notícias relevantes: