Opinião

Preste atenção na sua respiração

A respiração abdominal não é a melhor para quem trabalha em pé, pega pesos


divulgação
COLUNISTA LICIANA ROSSI
Crédito: divulgação

Vejo que muitas pessoas não sabem respirar. Um ato natural que foi tão influenciado por nossos hábitos e emoções, que acabou nos desconectando da nossa natureza. O sistema respiratório é constituído pelos pulmões, cuja função é garantir as trocas gasosas com o meio, e pela parede torácica, que se movimenta devido a uma ação contínua de músculos e expressa o conjunto toracoabdominal (caixa torácica e o abdômen), separados pelo diafragma, cujo movimento normal é constituído pela expansão e retração desses compartimentos durante a inspiração e a expiração, respectivamente. A principal função do diafragma é respirar!

Algumas pessoas apresentam um padrão respiratório mais peitoral, onde há uma elevação acentuada dessa região na hora da inspiração, predominantemente por ação dos músculos intercostais, e não pelo principal músculo da respiração, o diafragma. Assim, os ciclos respiratórios ficam mais curtos e rápidos e a quantidade de ar que entra é muito mais limitada, não havendo os movimentos expansivos das costelas, sinalizando ao cérebro um estado de alerta, aumentando os batimentos cardíacos, liberando o cortisol, hormônio do estresse. Geralmente quem apresenta este padrão não se dá conta disso, utilizando-o o dia todo e chegando ao fim do dia com muita falta de energia e dores nas regiões superiores do corpo, com estresse e tensões musculares. Pessoas muito estressadas e ansiosas apresentam este padrão, típico do início de crises de asma e ataques de pânico. São pessoas com dificuldade de expirar profundamente, já que pegam muito pouco ar. Lembrando que a expiração relaxa muito e acalma o sistema nervoso.

Por outro lado, há pessoas que acham que a respiração abdominal é a correta e fazem uma expansão do abdômen na hora da inspiração, projetando a barriga à frente. Naturalmente na inspiração, o diafragma se contrai e desce, empurrando as vísceras para baixo, para abrir espaço para o ar entrar nos pulmões. Porém, ao expandir o abdômen, não há a musculatura abdominal para conter esses órgãos de uma projeção excedente, pois eles também estão sendo projetados, e assim esse "barrigão" gera instabilidade nas articulações da coluna, podendo resultar em dores. Esta respiração ficou conhecida por ser a respiração dos bebês, e a utilizaram, mas só se esqueceram de uma coisa: os bebês não ficam em pé e não lidam com a gravidade como nós. Portanto, a respiração abdominal não é a melhor para quem trabalha em pé, pega pesos, crianças no colo, trabalha sentado... pois estas situações requerem estabilidade de toda a musculatura abdominal e da coluna, que não deve estar relaxados, pelo contrário, devem estar prontos para estabilizar você. Apesar dos ciclos serem mais lentos e profundos na respiração abdominal, diminuir o ritmo cardíaco, ser excelente para relaxar, prevenir o estresse e aumentar a capacidade pulmonar, esta respiração deve ser utilizada no treinamento respiratório, no yoga, não para o dia a dia onde a coluna deve ter estabilidade, pois ela desativa todo o core (conjunto de músculos que estabilizam a coluna) e acentuam a curvatura lombar (hiperlordose).

Então qual o padrão respiratório ideal? Na minha opinião, a respiração deveria ser diafragmática ao longo do dia. Para isso você deve simplesmente mover suas costelas lateralmente e inspirar profundamente, sem empurrar sua barriga para frente, deixando que ela suba levemente, para que os órgãos abdominais sejam empurrados contra cavidade abdominal e pélvica, massageando-os. Quando expirar, o que é feito passivamente, ocorrerá o oposto, um fechamento natural das costelas, a subida do diafragma, ajudando a empurrar o ar para fora. O simples movimento de expansão lateral das costelas proporcionará muito movimento em seu diafragma, em seu tronco todo e mobilizará as tensões que houverem. Isso afetará seu coração e pulmões, que estão logo acima do diafragma, seu estômago, fígado, vesícula, rins e baço, logo abaixo dele, assim como sua coluna torácica e lombar, já que tem seus pilares inseridos em algumas de suas vértebras. O principal músculo da respiração é o diafragma, então acho justo que ele possa contrair e relaxar, exercer sua função. Muita saúde a todos.

LICIANA ROSSI é educadora física, pós-graduada em Treinamento Desportivo pela Unicamp, Ginástica Corretiva pela UniFMU, Exercícios Corretivos pela NASM-USA, CP2 e HLC2 pelo CHEK Institute-USA, Cursando SomaTraining/Eldoa-USA.


Notícias relevantes: