Opinião

Work in

Podemos utilizar o "work in", treinos para gerar e cultivar a energia vital


divulgação
COLUNISTA LICIANA ROSSI
Crédito: divulgação

Apesar de mais da metade da população do Brasil não praticar atividade física, segundo a Organização Mundial da Saúde, fomos condicionados acreditar que quanto mais treinamos mais resultado teremos.

Qualquer tipo de exercício físico exigirá um gasto energético, mas é necessário que seu corpo tenha energia para gastar, para haver benefícios e não problemas, afinal, quem treina geralmente busca saúde. E este é o ponto que chamo a atenção hoje: você cultiva energia em seu corpo? Já se preocupou com seu nível de vitalidade? Faz algum tipo de "work in"? Se preocupar em aumentar sua energia através da alimentação?

Estas perguntas foram apenas para começar a discussão e fazer com que vocês pensem a respeito dessa prática pouco utilizada no ocidente, mas vinda de conceitos orientais da preservação da energia vital, o Chi, ou Prana, que nada mais são que o cultivo da nossa energia vital. "Work in" é um tipo de treinamento interno, introspectivo.

O exercício físico, o workout, é um tipo de estresse para o corpo, mas um estresse bom para a saúde, pois há tipos de estresse benéficos e maléficos. O conceito "malhar" o corpo está em baixa, de exaurir o corpo. Para que agredir tanto assim você mesmo? Pois quando em nível adequado, a atividade física ativa o nosso sistema nervoso simpático, responsável por nossa resposta de "luta ou fuga", deixando-nos alertas e prontos para desfrutar o dia e aproveitá-lo da melhor forma, aumentando nossa energia vital. O rendimento no trabalho, nível de atenção, imunidade, tudo fica melhor quando treinamos e extravasamos o excesso de emoções através do movimento, mas é importante que haja energia. Para que este ciclo de treinamento continue melhorando a nossa saúde, podemos utilizar o "work in", treinos para gerar e cultivar a energia vital. Meu professor, Paul Chek, fundador do CHEK Institute, tem um conceito muito interessante: cultive a energia interna, para depois cultivar a externa, para que assim nunca lhe falte energia e vitalidade.

Temos muitos fatores estressores, como físicos, químicos, eletromagnéticos, psíquicos, nutricionais e termais. Quando algum deles não está equilibrado, nosso corpo sofre. Os fatores estressores internos são geralmente uma reação aos fatores externos, como o um estresse físico, químico, nutricional, a poluição de todas as formas, desde o ar até a energia eletromagnética, que ativam um estresse mental ou psíquico. O estresse é percebido ou interpretado pelos nossos sistemas de controle: límbico/emocional, hormonal, visceral, nervoso, musculoesquelético e outros subsistemas, e quando em excesso, tiram nosso corpo do equilíbrio, gastando nossa energia vital e gerando problemas de saúde física e/ou mental.

O nosso corpo é dependente da energia que alguns sistemas produzem, como o circulatório, digestivo, hormonal e musculoesquelético. Um trabalho que aumente a energia influencia a função de órgãos e glândulas, cultiva a energia do corpo, tornando-o mais eficiente e redefinindo os nossos ritmos biológicos naturais, ao ativar o sistema nervoso parassimpático, responsável por "descansar e digerir", que por ser anabólico, ou seja, regenerador do organismo, aumenta os níveis gerais de saúde e energia, garantindo bem-estar e equilíbrio para corpo e mente.

O problema é que passamos grande parte do nosso dia no modo "luta ou fuga", sendo inundados pelo cortisol, hormônio do estresse, inflamatório, que causa problemas digestivos, ainda por cima comemos mal, ficamos desidratados, com problemas no sono, sem tempo para cuidados, atividade física e outros tipos de atividades onde possamos relaxar, respirar, "descansar e digerir". É preciso organizar isso tudo em nossas vidas, é chegada a hora de despertarmos para o que é preciso mudar em ruma à saúde integral.

Cultivar a energia vital, garantir energia e bem-estar, ficar atento à questões que aumentam ou diminuem nossa energia, momentos para entrar em contato consigo mesmo, através de práticas meditativas, respiratórias, Yoga, Tai Chi, orações, reflexões, mesmo ouvir música, dar um tempo para que sua cabeça pare de pensar nos problemas e apenas sinta o pulsar da vida, os ritmos do seu corpo. Isso é cultivar energia, é armazenar vitalidade e o resultado disso será saúde! Muita saúde a todos.

LICIANA ROSSI é educadora física formada pela ESEF Jundiaí, pós-graduada em treinamento físico pela Unicamp e ginástica corretiva pela FMU-SP; exercícios corretivos pela Academia Nacional de Medicina Esportiva - NASM/USA; CHEK Practitioner nível 2 Califórnia/USA; Holistic Life Style Coach/CHEK Institute/USA.


Notícias relevantes: