Opinião

O pastor no seu dia

A população evangélica está estimada em 60 milhões de pessoas


DIVULGAÇÃO
PASTOR DANIEL
Crédito: DIVULGAÇÃO

No segundo domingo de junho, celebramos o dia do pastor evangélico. Data simbólica que muito nos honra.

No Brasil, a população evangélica está estimada em 31% pelo Datafolha, o que nos traz mais de 60 milhões de pessoas, uma população que estaria entre os 25 países mais populosos do mundo, caso os evangélicos brasileiros fossem uma nação. Por isso, a relevância desta data. Mas confesso que, como pastor (apesar de me sentir honrado), não me empolgo com a data, pois não será um dia específico que me fará sentir mais ou menos honrado ou feliz em ser o que sou.

Sou pastor segundo o chamado de Deus, uma santa e honrosa vocação, e não há maior privilégio para mim do que esse, ainda que com todas as dificuldades, desconfianças e até preconceito que sofremos. Já fui alvo de piadas, xingamentos, discriminação. Tive dificuldade para ter crédito aprovado para financiamento imobiliário, pois não sou CLT, não tenho direitos garantidos de FGTS, porque exerço uma vocação e não uma profissão e é isso mesmo, graças a Deus somos vocacionados.

O pastor que faz da sua vocação a sua profissão já nem deve mais ser chamado de pastor, visto que esqueceu sua essência, a sua razão de ser quem é. E isso é o que, infelizmente, traz para nós um estereótipo deturpado de homens que se aproveitam da fé alheia para sua ganância, sendo estes uma pequena parcela dos pastores e, como já disse, estes não são verdadeiros sacerdotes.

Lamentavelmente, como em qualquer profissão (ainda que o pastorado não o seja), os maus exemplos, mesmo sendo em número muito menor, se destacam mais do que os bons exemplos, que são a imensa maioria. Milhares de ministros da Palavra que honram a sua vocação e cuidam desses milhões de brasileiros em contextos completamente adversos de escassez e necessidade pelo nosso Brasil afora, levando esperança, levando cuidado e o amor de Deus para um povo que tanto precisa.

Estes homens e mulheres de Deus que para os quais não existe horário de trabalho, que levantam nas madrugadas para socorrer as famílias em suas urgências, que servem de amparo, apoio e segurança para o órfão e viúva, que andam quilômetros, muitas vezes a pé em chão batido, para visitar um enfermo e orar com este, que sacrificam muitas vezes o tempo com sua família, pois alguém está precisando do cuidado do pastor. Estes sim merecem total respeito, honra e admiração. Quantas vezes não fui acordado nas madrugadas com a ligação de um membro da igreja que acabara de perder algum ente querido ou porque estava em alguma situação difícil. Quantas famílias não foram restauradas pelo amor de Deus manifesto através do cuidado deste pastor? Casamentos que estavam destruídos com agressões e tudo mais, onde nos colocamos no meio para trazer paz, amor e restauração. Quantas vezes não deixei minha família em casa para poder dar atenção a quem precisava, a buscar solução e provisão a quem necessitava, a viajar a lugares precários para falar do amor de Cristo e tudo isto por uma única razão: Deus me escolheu para ser pastor, que honra.

Nosso privilégio e honra não está em ter o "dia do pastor", mas sim em ser o pastor no seu dia. Nisto trago o exemplo do nosso grande senhor Jesus que disse: "o pastor dá a vida por suas ovelhas". Ser pastor é se doar, é se entregar, é viver para os outros, é amar incondicionalmente, é cuidar, é suprir e prover, é exortar e também acalmar, é abençoar e ser perseguido muitas vezes e, nisso tudo encontrar alegria de estar cumprindo o chamado do Senhor.

O grande pastor Billy Graham, o maior evangelista de todos os tempos, uma vez foi cotado para concorrer as eleições presidenciais norte-americanas devido à sua grande popularidade construída por sua humildade e paixão pelas pessoas. Ao ser convidado para esta oportunidade tão grandiosa ele respondeu: "Não posso aceitar, pois jamais poderia descer de nível me rebaixando a presidente dos Estados Unidos, uma vez que sou embaixador do Reino de Deus, da pátria celestial". Uau, que convicção, que afirmação poderosa. E realmente é isso, somos embaixadores do Reino de Deus: o maior orgulho que alguém pode ter.

Dedico este texto a todos os meus colegas que honram a sua vocação, que sigamos o exemplo do Supremo Pastor Jesus Cristo e possamos ser o pastor do Salmo 23.

PASTOR DANIEL ANTONIO é teólogo, administrador e publicitário, MBA Coaching e Mentoring, MBA em Gestão de Negócios, palestrante do Jesus Coaching e do canal Falando sobre Deus; [email protected] e instagram:
@prdanielantonio


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: