Opinião

Recarregando as baterias

O sono é fundamental para preservar a boa saúde


ALEXANDRE MARTINS
ALEXANDRE MARTIN ARTICULISTA
Crédito: ALEXANDRE MARTINS

Muito do aprendizado da Medicina Tradicional Chinesa chegou nos dias de hoje através de clássicos que foram escritos em linguagem poética e típica da erudição do seu tempo. Um destes livros, concluído em 220 a.C, o Huang Ti Nei Jing, traduzido aqui no Brasil como "O Clássico do Imperador Amarelo", traz em cada linha a sabedoria no sentido de preservar a saúde e a longevidade.

Hoje gostaria de falar sobre uma frase de extrema importância contida nos 81 capítulos desta obra sobre uma atividade que fazemos todos os dias de nossa vida, desde o primeiro até certamente o último: o nosso sono.

É dito neste clássico que "o sangue (xue) é a morada da mente (shen) e ao anoitecer a mente se recolhe no sangue, tal como um homem que volta para a sua casa ao fim do dia para descansar, permitindo que a pessoa caia no sono".

Vamos interpretar. O sangue é a substância Yin do organismo, que nutre e acolhe os tecidos. Como toda característica de inatividade e descanso, essa substância tem a capacidade de "domar" a agitação e o caos da energia e da atividade Yang, que acaba sendo o estado em que ficamos quando acordados durante o dia. Depois de várias horas de atividade e desgaste de energia, naturalmente nos sentimos cansados e um pouco desgastados, necessitando de repor a energia que desprendemos.

Entra aí o papel do sangue que nutre e contém a atividade: ele acolhe a energia como um homem que volta cansado para sua morada no fim do dia e, quando o faz, o indivíduo se recolhe ao seu sangue, que na visão oriental, tem uma circulação mais "profunda" quando estamos dormindo.

Daí tiramos uma conclusão importante: o sono é fundamental para preservar a boa saúde, pois nele iniciam os processos de energizar as estruturas e reconstruir (anabolizar) os tecidos. Pergunte a qualquer fisiculturista a importância do bom sono para os resultados no físico e no treinamento. Na mesma visão, pessoas que sofrem de insônia tendem a produzir processos inflamatórios diante dos mínimos estímulos e mesmo perpetuar processos que já existam.

O que causa a insônia, de modo geral? A frase esclarece isso também.

Em primeiro lugar tudo o que pode afetar a morada da mente que são os processos que consomem e desgastam o sangue: distúrbios endocrinológicos na mulher (que levem a grandes perdas sanguíneas menstruais ou mesmo a menopausa), exercícios exaustivos em grande volume, sem tempo para recuperação, má alimentação (advinda de dietas desregradas ou falta de suplementação em carências, por exemplo) ou até mesmo doenças crônicas que cursam com perda de peso.

Depois, tudo o que agita a mente e impede que ela encontre o caminho para a sua casa e merecido descanso: as preocupações (em particular com pensamentos repetitivos, impedindo que a mente "desligue"), ansiedades, angústias e mesmo pensamentos por demais alegres e agitados, como as crianças que assistem a filmes e brincam com jogos eletrônicos até tarde da noite: O sono simplesmente não virá pois a mente não se recolhe no interior do indivíduo.

Então, como podemos viver de acordo com o Tao e aumentar a nossa longevidade? Com o anoitecer é hora de atividades mais calmas, que não exigem muito raciocínio, para que a mente não se agite. Acaso tenhamos que estudar à noite, o conveniente é que possamos descansar um número de dias igual ao que usamos para estudar, a fim de recarregar a energia e não desgastar o sangue.

Evitar filmes agitados, computador e jogos eletrônicos no período noturno. A luz irradiada por esses aparelhos e a agilidade que são necessários ativam a energia do fígado (ligado aos olhos) e do coração (ligada às emoções) tal como se estivéssemos no pico da nossa atividade.

Atividades físicas e exercícios são mais indicados no período do dia, pois a noite tem mais impacto no sangue e por isso podemos desenvolver, ao longo do tempo, insônia pelo desgaste que eles promovem. Caso seja necessário, suplementação alimentar para evitar este desgaste é mandatória.

Observar as melhores condições para um sono profundo e reparador é mais que um ato de autocuidado, é um ato de sabedoria. Fiquem bem e… bom sono!

ALEXANDRE MARTIN é médico formado pela Unicamp e especialista em Acupuntura e Osteopatia


Notícias relevantes: