Opinião

Movimento é vida

O movimento acrescenta significado às nossas vidas


divulgação
COLUNISTA LICIANA ROSSI
Crédito: divulgação

Sem movimento, realmente não há vida. Podemos compreender isso de variadas maneiras, mas em um nível puramente biológico, se as células sanguíneas não se movem, não conseguem transportar o oxigênio, se os pulmões não se movem, não conseguem respirar, se os corações não se movem, não conseguem bombear sangue, e as espinhas que não se movem não podem criar o movimento necessário para a nutrição adequada das articulações, para as atividades da vida diária ou para a estimulação das vias articulares do cérebro necessárias para seu adequado funcionamento, além de todo o nosso corpo. Em suma, o movimento é o que permite que nossos corpos operem em toda a sua delicada e maravilhosa complexidade.

Estamos sempre em movimento, mesmo quando estamos "parados" os nossos órgãos internos estão nos mantendo vivos, nossos olhos estão focados e piscando, nossos órgãos internos estão digerindo ou assimilando algum nutriente, a circulação acontece e nenhuma parte de nosso corpo fica completamente parada, mesmo quando dormimos. Quando estamos sentados ou em pé, fazemos sempre pequenos ajustes para nos mantermos na gravidade. O nosso movimento é inteligente, mesmo quando não estamos pensando nisso. O movimento em nosso corpo nunca para.

A conexão inerente entre movimento e vida também é compreensível se refletirmos por um momento sobre o que acontece quando nos envolvemos em comportamentos saudáveis, como a prática diária de atividade física e uma boa e variada alimentação, em comparação com a alternativa de permanecer sedentário e comer alimentos não tão saudáveis, como os processados e açucarados, refrigerantes e fast foods. Muitos estudos e pesquisas afirmam que o exercício regular melhora a circulação, aumenta a mobilidade e a flexibilidade, permitindo uma maior capacidade de realizar tarefas físicas sem correr o risco de lesões. Todos estes benefícios citados envolvem movimento.

Os exercícios, os esportes, ao promover movimento, melhoram nossa disposição tanto física e mental, produzindo hormônios que nos trazem bem-estar, felicidade e prazer, garantindo o bom funcionamento do cérebro, diminuindo o estresse, ansiedade e depressão, até mesmo diminuindo a intensidade da dor. Com isso, aumentam a nossa qualidade de vida, vitalidade e longevidade. Resumindo, quem se movimenta é mais feliz e tem menos dores.

Quando nosso sangue se move por todo o nosso corpo, fornecendo nutrição vital aos tecidos e órgãos, as nossas articulações e músculos se movem com mais facilidade, em vez de ficarem rígidos e imóveis, causando dores e desconfortos e impossibilitando uma movimentação mais rápida e com menos esforço. Muitos idosos, que não se movimentam com regularidade, vão ficando cada vez mais rígidos, lentos, sem reflexos e, principalmente, sem equilíbrio, o que torna uma simples caminhada até o banheiro um grande risco, já que o movimento é escasso. Porém, movimento é vida. O movimento pode e deve ser treinado em todas as fases da vida. E, acreditem, aquele local do corpo que não se move é um grande risco para a saúde.

Diversos estudos de pesquisa recentes reforçam o papel essencial que o movimento desempenha em nossa existência, particularmente no que diz respeito à prevenção de doenças. Por exemplo, uma pesquisa da edição de março de 2009 da revista científica americana Heart sugere que o exercício regular não só ajuda a prevenir doenças cardíacas, mas também aumenta a expectativa de vida em pacientes saudáveis e em pacientes que já sofrem de problemas cardíacos e tomam medicamentos. De acordo com o estudo, o aumento da atividade física regular a moderada reduziu o risco de mortalidade em ambos os grupos, mas ainda mais em pacientes que tomavam medicamentos para uma doença cardíaca preexistente. Um exemplo de como o movimento realmente é a vida.

O "Movimento é vida" vai além das questões de sobrevivência e manutenção física: o movimento acrescenta significado às nossas vidas, atuando diretamente nos aspectos biológico, psicológico e social, ou seja, no desenvolvimento global do homem. Heróclito, filosofo grego que morreu em 470ac, dizia: "Tudo flui. Tudo está em movimento" e "Nada é permanente exceto a mudança". Vamos refletir um pouco sobre o papel do movimento na vida e na saúde e incorporar mais movimentos em nosso dia a dia. Muita saúde a todos.

LICIANA ROSSI é pós-graduada em Treinamento Desportivo (Unicamp), Exercícios Corretivos (Academia Nacional de Medicina Esportiva dos USA), CHEK Practitioner 2, Holistic Lifestyle Coach 2 -CHEK Institute/USA, LPF Specialist e graduanda Somatraining/Eldoa -USA


Notícias relevantes: