Opinião

Claudio Antonio Soares Levada

A cidade perdeu um dos seus mais destacados e prestigiados filhos


divulgação
COLUNISTAS GUARACI ALVARENGA
Crédito: divulgação

Numa manhã de segunda feira, 6, véspera do feriado de 7 de setembro, foi se embora Claudio Antonio Soares Levada. Talvez um dos mais brilhantes desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo, pela eloquência, pelo brilho de sua oratória e pelo conteúdo de seu discurso. Era uma figura admirável. A cidade perdeu um dos seus mais destacados e prestigiados filhos. Claudio fazia parte do órgão especial do TJSP, da 34ª Câmara de Direito Privado e do Conselho da Apamagis. Coordenador da Faculdade de Direito Padre Anchieta. Presidiu o Conselho do Paulista F.C. e do Clube Jundiaiense. Nas palavras do dr. Artur Marques: muito triste ! Estava em ascensão no Tribunal. Juiz de primeira linha. Seus traços pessoais foram muito conhecidos. O que mais se destacava era o seu modo simples de ser e de viver. Era atencioso com as pessoas. Caminhava pelas ruas de Jundiaí sem maiores preocupações, a todos cumprimentava despido de qualquer vaidade pessoal.

Como professor de direito demonstrava um aprumo ético, estimulando os alunos, aconselhando-os sem que as lições tivessem o travo do mestre ensinando, mas sempre opinando, com humildade e simplicidade. Não só com os alunos, mas com todos, a devoção às grandes causas da cidade, aos humildes, o seu senso de humor. Ficar ao seu lado era um privilégio. Claudio tinha cultura e vocabulário invejáveis e a risada chacoalhada dava o contorno ao bom humor. Não posso me esquecer do nosso último encontro. Claudio gostava de soltar a voz em encontros festivos e alegres. Na reunião do Conselho do Clube Jundiaiense, no final de agosto, na posse da nova diretoria, convidou a todos os presentes a um brinde de comemoração. Aproximou-se de mim e com aquele jeito de ser, de viver a vida em sua plenitude, disse-me: mandei comprar um champagne de qualidade, pois a ocasião merece. Todos os seus amigos o conheciam por interpretar a canção "feelings" com muito sucesso. Mas, ali, quando falamos em músicas, foi sincero em confessar que "My Way" era a trilha sonora de sua vida. Cantou-a com seu bom inglês, que em sua homenagem, peço permissão para traduzi-la :

."E agora o fim está próximo / Então eu encaro a cortina final / Meu amigo, eu vou falar claro / Eu irei expor meu caso do qual tenho certeza / Eu vivi uma vida por inteiro/ Eu viajei por cada e em todas as estradas/ Oh, mais, muito mais que isso/ Eu fiz do meu jeito /Arrependimentos, eu tive alguns/ Mas então, tão poucos para mencionar/ Eu fiz, o que eu tinha que fazer/ E eu vi tudo, sem exceção/ Eu planejei cada caminho do mapa/ Cada passo, ao longo da estrada/ Oh, mais, muito mais que isso/ Eu fiz do meu jeito/ Teve horas/ Eu tenho certeza de que você sabe/ Quando eu mordi mais que eu podia mastigar/ Mas, entretanto, quando havia dúvidas/ Eu engoli e cuspi fora/ Eu encarei tudo isso e continuei altivo/ E fiz do meu jeito/Eu amei, eu sorri e chorei/Tive minhas falhas, minha parte de derrotas/ E agora como as lágrimas descem/ Eu acho tudo tão divertido/ De pensar que eu fiz tudo/ E talvez eu diga, não de uma maneira tímida/ Oh não, não eu/ Eu fiz do meu jeito/ E o que é um homem, senão o que ele tem/ Se não ele mesmo, então ele não tem nada/ Para dizer as coisas que ele sente de verdade/ E não as palavras de alguém que se ajoelha/ Os registros mostram/ Que eu recebi as desgraças/ E fiz do meu jeito/ Sim, esse era meu jeito.

A morte de Claudio aconteceu no meio de um de seus maiores prazeres: a pesca no mar. Com sua partida, fica-nos a lembrança do pai exemplar, do marido companheiro, do brilhante desembargador, e dos tempos bons da camaradagem engraçada e respeitosa que sempre alimentou nossos encontros festivos. Os íntimos perderam um excelente amigo. Foi fiel ao seu estilo e a sua vontade. Assim quis da vida e tenho certeza de que não se arrependeu. Partiu e com ela parte da história desta cidade por onde registrou seu nome com excelência. Nós vamos sentir sua falta. A sua bela família perdeu o seu maior amor. Gostaria de dirigir os nossos sentimentos e acredito que a maioria da população jundiaiense gostaria de fazer o mesmo.

GUARACI ALVARENGA é advogado


Notícias relevantes: