Opinião

Estresse engorda?

O hormônio do estresse acaba sobrecarregando as glândulas adrenais


.
COLUNISTA LICIANA ROSSI
Crédito: .

O estresse é uma reação natural do nosso organismo em situações que nos ameaçam de alguma forma, que nos oferecem perigo. Uma resposto física, um mecanismo de sobrevivência, uma atitude biológica a um estímulo. Quando estamos sob influência de uma "ameaça", nosso corpo entende que é necessário mudar para um estado onde possamos sobreviver e entramos no modo "luta ou fuga". Desta forma, o corpo começa a liberar um mix hormonal complexo e algumas substâncias químicas para preparar o corpo para a ação, a fim de sobreviver em caso de um perigo.

O problema é a que a manutenção desse estado por um longo período é prejudicial à saúde e pode resultar em vários problemas. Viver no modo "luta ou fuga", secretando deliberadamente cortisol, o hormônio do estresse, acaba sobrecarregando as glândulas adrenais, o que ainda não é reconhecido como uma doença, embora esta dificuldade do organismo em lidar com estresse contínuo cause sintomas, como dores no corpo, dificuldades de concentração, vontade de comer, fadiga, tonturas frequentes, infecções recorrentes, alterações do sono, queda da libido, até mesmo depressão. Fora o aumento dos níveis de açúcar no sangue e o aumento da pressão arterial, palpitações, perturbações do sistema nervoso e concentração de gordura em torno do abdômen, o que eleva ainda mais o risco de diabetes e problemas cardíacos. Estima-se que um quinto da população ocidental sofra de diabetes ou de doenças cardiovasculares.

Uma pesquisa do hospital universitário de Gotemburgo, na Suécia, descobriu que, quando o organismo está sob influência do estresse crônico, acaba produzindo em excesso um hormônio que estimula uma enzima de acumulação de gordura. Essa enzima é mais facilmente absorvida pelo abdômen do que por outras partes do corpo, segundo este estudo. Após um longo período de estresse, a quantidade de hormônio é reduzida, mas a gordura permanece, particularmente, na barriga do homem moderno, que precisa de menos esforço físico para sobreviver do que seus ancestrais. "O sistema de estresse desenvolveu-se para lidar com os breves períodos de estresse do homem da idade da pedra, que se preparava para batalha ou fuga. No mundo civilizado de hoje, o estresse é diferente. As pessoas não podem surrar o chefe ou sair correndo de seus credores", segundo o médico Thomas Ljung, que chefiou esta pesquisa. E continua: "O estresse positivo, uma rápida descarga de adrenalina, é bom para o organismo. É o estresse por períodos extensos que pode levar a sérios problemas de saúde".

Mas então, como é esta relação do estresse com o ganho de peso? O estresse faz com que o nosso cérebro receba uma mensagem de ameaça aumentando a produção de cortisol, glicose e insulina, isso tudo faz com que o nosso corpo aumente a preferência por alimentos mais calóricos, com excesso de açúcar e gordura. O cérebro entende que se há mais "energia" haverá mais chances de sobrevivência, de lutarmos ou fugirmos. Por isso e estresse nos faz comer mais. Além de alterar a nossa percepção de saciedade, desregulando o controle do apetite, o cortisol é capaz de acelerar a multiplicação das células de gordura.

Muitos estudos têm mostrado que a diminuição da qualidade de vida está relacionada ao estresse, que está correlacionada com o ganho de peso. Carências nutricionais associadas a isso tudo podem aumentar a susceptibilidade ao estresse e à depressão. Uma grande via de mão dupla. O estresse levando a um aumento do consumo de alimentos calóricos, que aumentam o estresse. Um grande círculo vicioso.

Para virar o jogo não comece por uma dieta restritiva demais, que pode aumentar o estresse. Foque primeiramente em possibilidade para relaxar, diminuir a atividade mental, controlar o estresse. A prática da atenção plena (mindfulness), de meditações, ajuda muito a aceitar as mudanças que precisam ser feitas e incorporá-las de maneira leve e respeitosa, para que você emagreça por e com saúde. O mindfulness ajuda no manejo do estresse que engorda, ajuda a lidar com os sentimentos e emoções e nos traz para a vida com presença, contribuindo em episódios de compulsão alimentar.

Promover mudanças que possam beneficiar a saúde e uma melhor qualidade de vida devem ser metas importantes na vida de cada um de nós. Controle o estresse e muita saúde a todos.

LICIANA ROSSI é pós-graduada em Treinamento Desportivo (Unicamp), Exercícios Corretivos (Academia Nacional de Medicina Esportiva dos USA), CHEK Practitioner2, HolisticLifestyle Coach2, CHEK Institute/USA, L.P.F. Specialist e graduanda SomaTraining/ELDOA-USA


Notícias relevantes: