Opinião

Restrição e expansão energética

Existe uma ligação entre a emoção e o movimento energético


Alexandre Martins
Alexandre Martin
Crédito: Alexandre Martins

Estamos naquele momento do ano onde as festividades se acalmam e a empolgação se vai. A diminuição da euforia que vinha da mudança de calendário dá lugar à lucidez, mostrando que a vida deve continuar, ainda que um pouco diferente do que era no fim de 2021, não muito tempo atrás.

Importante não deixar morrerem, logo agora no início do ano, os nossos projetos e aspirações que criamos nos ritos de passagem. É hora de realizar! Para isso vamos nos organizar, planejar e direcionar os nossos esforços para realmente fazer nascer no plano material o que foi gestado no plano mais sutil, mais energético.

A medicina tradicional chinesa (MTC) considera que existem outros corpos além do físico, baseados em energias mais sutis, que acompanham e influenciam o funcionamento do nosso corpo material,
mais denso.

Os recentes conhecimentos de física quântica mostram que este modelo tradicional não está distante da nova realidade que se apresenta e, ao passo que nosso conhecimento tecnológico evolui, tradição e modernidade confluem para o mesmo ponto, o que já justifica aprendermos um pouco mais com o que a tradição nos propõe.

Nestes corpos mais sutis estão localizados os canais de energia que conhecemos popularmente como "meridianos", muito utilizados na acupuntura, onde se inserem agulhas no corpo físico, para influenciar o fluxo de energia nestas vias ou mesmo em outras técnicas de tratamento manual, como o shiatsu, do-in e tui-ná.

Essa energia controla e ativa as estruturas do corpo físico e ao mesmo tempo, responde às alterações mentais do indivíduo. Assim, por exemplo, a emoção do medo faz com que a energia de todos os meridianos fique mais lenta e tenha a tendência de submergir (ir para as partes baixas do corpo) para se reequilibrar.

Acaso esse processo ocorra no canal energético do Rim e da Bexiga, a energia pode "arrastar" o fluxo urinário (ligado à esses canais) para baixo no processo de submersão e o indivíduo pode perder uma quantidade deste líquido, inadvertidamente. Essa é a explicação da MTC para o fenômeno conhecido como "urinar nas calças de medo".

Veja que existe uma ligação entre a emoção e o movimento energético que ela promove nos corpos mais sutis, onde estão os meridianos, e fenômenos fisiológicos (ou nem tanto…) do nosso corpo físico. Dei exemplo do medo, mas cada emoção básica tem seu efeito específico, canal que afeta preferencialmente e seu efeito no fluxo energético.

O que isso tem a ver com nossas resoluções de início de ano, que citei no começo da nossa conversa, afinal? Acontece que os nossos planos, quando idealizados, imaginados, provocam na nossa mente as emoções e sentimentos que estão associados com a realização destes planos. Sentimos nos nossos corpos mais sutis a satisfação das nossas conquistas, as alegrias dos nossos reencontros e mesmo ansiedade por tudo o que almejamos para nós em 2022.

Estas sensações somente são possíveis, pois geram movimentos na energia, quase como um arco que armazena a força na sua corda, antes do disparo. Esta energia que mobilizamos fica armazenada, restrita, guardada, nos nossos corpos sutis. Ela só será liberada quando o nosso plano se tornar realidade, gerando todas essas emoções, outrora sutis, no nosso corpo físico, quando ele estiver vivenciando a realidade do previsto, dos nossos planos.

Caso não sejam liberadas, essas energias ficam restritas, presas, gerando alterações e influenciando o nosso corpo físico, que podem variar desde tensão muscular até distúrbios de sono, dependendo do canal de energia que afetam.

Eu tive um professor de acupuntura que falava, sobre esse assunto: "não fique pensando excessivamente, pense somente o que precisa para realizar as coisas. Porém, se pensar, REALIZE o seu pensamento!". Ele se preocupava em dar vazão às energias que são estocadas no nosso corpo sutil, pois sabia que a energia estagnada poderia gerar problemas para ele posteriormente.

Então, meus amigos(as), eu lhes desejo mais uma vez um ano repleto de realizações, onde toda a sua energia emocional estocada possa encontrar vazão no mundo real, sem provocar alterações na sua fisiologia! Um forte abraço e fiquem todos bem!

ALEXANDRE MARTIN é médico formado pela Unicamp e especialista em Acupuntura e Osteopatia


Notícias relevantes: