Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Aceitação

KELSANG CHIME | 01/08/2020 | 05:10

Enquanto estivermos em conflito com as dificuldades da vida, pensando que as coisas deveriam ser diferentes do que são, culpando as circunstâncias e outras pessoas por nossa infelicidade, nunca teremos a clareza e o espaço mentais para entender a nossa própria ignorância de como as coisas realmente são. Estamos aprisionados nessa ignorância desde tempos sem início e, sem um esforço alegre, nunca sairemos dela.

Aceitação não quer dizer ficar de braços cruzados diante das dificuldades da vida, aceitar o que não pode ser modificado é um tipo de paciência que nos fortalece na direção de colocar nossos esforços naquilo que tem solução.

Normalmente, para fugir de sensações desagradáveis, não paramos para analisar de onde exatamente essas sensações surgem. Sentimo-nos imediatamente feridos quando, por exemplo , ajudamos uma pessoa e ela é ingrata conosco. Quando nosso amor não é correspondido ou quando nosso chefe ou amigo nos diminui e tenta minar nossa confiança. Nesses momentos queremos escapar das nossas sensações dolorosas, adotando uma atitude defensiva, fechando nosso coração.

Uma reação tão rápida não nos dá o tempo necessário para usar a sabedoria e não enxergamos com exatidão o que está acontecendo. Isso dificulta imensamente a solução do problema, se ela existir. Nem podemos analisar se realmente devemos gastar nossa energia com ela se o caso não tiver solução.

Na realidade , não precisamos valorizar tanto nossas sensações. Elas são momentâneas e somos apenas uma pessoa em meio a incontáveis seres vivos.

Há uma grande diferença entre pensar ” eu estou mal” e “sensações desagradáveis estão surgindo em minha mente”. Quando nos identificamos com nossas sensações elas se tornam maiores e mais sólidas do que realmente são.

Por outro lado, se aprendermos olhar nossos sentimentos com um certo distanciamento, como se fossem apenas ondas no oceano da nossa mente, eles seriam menos assustadores assim conseguiremos lidar com eles de um modo mais fácil e construtivo.

Devemos lidar com os problemas e fatos de uma maneira calma. Só assim ficará mais fácil enfrentá-los. O que tem solução logo se resolverá, e o que não tem solução podemos aceitar. Nos familiarizando com essa prática de aceitar o que não pode ser modificado, nossas dificuldades desaparecerão. Tudo depende de familiaridade, uma vez que estejamos familiarizados com algo, conseguiremos realizar isso sem dificuldade.

Podemos começar treinando pequenos desgostos e irmos praticando até conseguirmos enfrentar, com a mente calma, coisas maiores. Aqueles que não prendem a encarar com coragem o sofrimento e aceitar , além de se sentirem impotentes e infelizes, perderão a oportunidade de desenvolver uma vida significativa.

KELSANG CHIME é monja budista.


Leia mais sobre |
Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/aceitacao/
Desenvolvido por CIJUN