Opinião

Brasil solidário

A startup Mais Vívida, que recruta jovens para apoiar idosos, está oferecendo seus serviços gratuitamente para diversas atividades, como compras de remédios e suprimentos, auxílio tecnológico remoto e contato por videochamadas para combater o isolamento durante a quarentena. A Marfrig, empresa produtora de carne bovina, vai doar R$ 7,5 milhões para o Ministério da Saúde para a compra de cerca de 100 mil testes rápidos para diagnosticar o novo coronavírus. A UniverSaúde colocou a sua ferramenta virtual TeleSaúde aberta a todos para tirar dúvidas sobre o covid-19, 24 horas por dia, e está realizando 40 lives, até maio, pelo YouTube, abordando temas para gestores e profissionais do setor. Outra startup, a Taba está promovendo uma maratona de histórias, rodas de leituras e contações de histórias on-line, gratuitas, para crianças e dando dicas de atividades e materiais gratuitos para as famílias. A Fleximedical está desenvolvendo unidades móveis e portáteis para suprir a falta de leitos de internação, leitos de isolamento, UTI e exames que fazem parte do protocolo de tratamento do coronavírus, como tomografia. O iFood criou um fundo de assistência para socorrer restaurantes e entregadores no valor de R$ 50 milhões. A ChatClass abriu, gratuitamente, a sua plataforma de aprendizado de inglês via Whatsapp, com aulas ao vivo até 17 de abril. A LabiExames faz testes gratuitos para identificar o covid-19 nos pacientes acima de 80 anos. Quem apresentar os sintomas da doença poderá preencher um questionário e anexar o pedido médico para agendar o serviço de coleta em casa da Labi sem custos. O Burger King doará R$ 1 milhão ao SUS para combate ao coronavírus. A Vale doará ao governo cinco milhões de kits para testagem. A Stoodi Videoaulas vai disponibilizar vídeos de preparação para o vestibular gratuitamente. A ação tem duração inicial de 30 dias, podendo ser prorrogada caso a suspensão das aulas em escolas do país permaneça por mais tempo. O McDonald's envia lanches gratuitos para os profissionais, nos hospitais, com bilhetes de agradecimento pelo serviço. Muitos restaurantes, dos grandes aos de bairros, fazem o mesmo. A Magazine Luíza doou 13 respiradores e monitores cardíacos à Santa Casa de Franca e ao hospital Emílio Ribas. Além disso, a empresa doou mil colchões e mil travesseiros ao estádio do Mangueirão, em Belém do Pará, para tirar moradores de rua do ambiente de risco. Segundo a empresa, está em andamento a doação de outros 30 respiradores ao estado de São Paulo. O Pé de Feijão disponibilizou seu programa de assessoria remota para apoiar as pessoas a se organizarem em sistema home office para trabalhar de casa. E tem mais, muito mais. Os exemplos se multiplicam dia a dia. É assim, por meio da solidariedade, que vamos vencer esse desafio e deixar como legado um país mais unido e mais confiante. MIGUEL HADDAD é deputado federal

Notícias relevantes: