Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Carlos Pellegrini: Prender jornalistas e soltar ladrões

CARLOS HENRIQUE PELLEGRINI | 25/04/2019 | 07:30

“Acorda amor, tive um pesadelo agora, sonhei que tinha gente lá fora batendo no portão, que aflição. Era a dura numa muito escura viatura, minha nossa, santa criatura, chame, chame, chame o ladrão”. O verso é da canção “Acorda amor”, interpretada pelo poeta, escritor, músico e “esquerdopata” Chico Buarque de Holanda. Segundo a página no Facebook “Chico 70 anos”, para explicar tal situação, temos que de falar do disco “Sinal fechado”. Lançado em 1974, em plena ditadura, traz a canção “Acorda, amor”, de Leonel Paiva e Julinho da Adelaide – pseudônimo de Chico para fugir da censura. A música se destacou por relatar a apreensão de um homem em sua casa pela polícia, por meio das (últimas?) palavras dele para a esposa. A graça de “Acorda, amor” está na ironia da inversão dos papéis de mocinho e bandido durante a ditadura.
A condenação do jornalista Danilo Gentili a seis meses e 28 dias de detenção, por injúria contra a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) é no mínimo exótica. A condenação tem base em vídeo de 2016 onde o apresentador, conhecido por suas opiniões de direita, ofendeu a parlamentar. Em nota, a deputada Maria do Rosário afirma que a sentença deve ser lida como uma convocação à sociedade brasileira: “É necessário retomar o respeito, o bom senso no debate público, nas redes sociais e na vida. Considero a decisão um símbolo de que é possível preservar a liberdade de expressão e garantir a dignidade humana. Esta é uma vitória da democracia e da justiça”. Maria do Rosário, ex-ministra da Secretaria dos Direitos Humanos é conhecida como ‘mãe dos marginais’, sem dizer que é citada em várias listas de delação como suspeita de corrupção. A deputada é famosa por defender ladrões, sequestradores e estupradores, assim como é crítica ferrenha da Polícia Militar, defendendo, inclusive, a desmilitarização da polícia. Dentre suas defesas consta a do estuprador Champinha, tendo dito que este não merecia ser preso por ser menor de idade e “não saber o que fazia”. Champinha, que chocou o Brasil com seu crime, sequestrou um casal em São Paulo e os levou até uma cabana na floresta, onde durante cinco dias violentou e estuprou Liana Friedenbach (16) em frente ao namorado Felipe Caffé (19), terminando por degolar a menina com um facão. Não tenho dúvidas que Danilo Gentili reverterá a sentença, até por que a dosimetria da pena é atrapalhada e imprecisa, ele réu é primário. Por fim, “o que é isso companheira, chame o ladrão!”

CARLOS HENRIQUE PELLEGRINI é professor universitário e Diretor de Gestão Empresarial e de Sucessão Familiar da Maxirecur Consulting. E-mail: pellegrini@maxirecur.com.br

ARTICULISTA  CARLOS HENRIQUE PELLEGRINI

ARTICULISTA
CARLOS HENRIQUE PELLEGRINI


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/carlos-pellegrini-prender-jornalistas-e-soltar-ladroes/
Desenvolvido por CIJUN